Terça-Feira, 25 de Junho de 2019
Brasil
11/01/2019 08:47:00
41% dos brasileiros são contra qualquer tipo de aborto, diz Datafolha

G1/LD

Imprimir

Pesquisa Datafolha divulgada pelo jornal "Folha de S. Paulo" nesta quinta-feira (10) aponta que 41% dos brasileiros são contrários a qualquer tipo de aborto e que a prática deveria ser totalmente proibida.

Atualmente, o aborto é permitido em apenas três casos no Brasil:

  • quando a gravidez é resultado de estupro;

  • quando há risco de vida para a mulher;

  • se o feto for anencéfalo.

Nas duas primeiras situações, a permissão do aborto é prevista em lei. No caso de feto anencéfalo, foi resultado de um entendimento firmado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Em qualquer outra situação, o aborto é considerado um crime no Brasil.

O levantamento foi realizado pelo Datafolha entre os dias 18 e 19 de dezembro, e ouviu 2.077 pessoas com 16 anos ou mais em 130 cidades de todas as regiões do país. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou menos. O nível de confiança é de 95%.

Veja os números:

O aborto deveria:

  • Ser totalmente proibido: 41%

  • Continuar como hoje: 34%

  • Ser permitido em mais situações: 16%

  • Ser permitido em qualquer situação: 6%

  • Não sabe: 2%

  • Outras respostas: 1%

Para 4 em cada 10 entrevistados, o aborto deve ser totalmente proibido, mesmo que a mulher corra risco de morrer ou tenha sido vítima de estupro. Para 34%, a lei deve continuar como é hoje, e 16% consideram que o aborto deve ser permitido em mais situações. Ainda entre os entrevistados, 6% responderam que deve ser permitido em qualquer situação.

Ajuda financeira

O Datafolha perguntou ainda se os entrevistados concordavam que mulheres estupradas que engravidam deveriam receber ajuda financeira para ter o filho, e 51% responderam que não. Outros 46% concordaram.

Veja os números:

Mulheres estupradas que engravidam não deveriam abortar, e sim receber ajuda financeira para ter o filho:

  • Discorda: 51%

  • Concorda: 46%

  • Não sabe: 2%

  • Não concorda nem discorda: 1%

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias