Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019
Cidades
25/04/2019 12:44:00
Capital registra mais de 100 vítimas de picadas de escorpião em 2 meses
Tem barata, lixo orgânico e terreno baldio? Cuidado com escorpião!

TopMídia/PCS

Imprimir

Nos primeiros dois meses do ano, em Campo Grande, 114 acidentes envolvendo escorpiões foram registrados pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde). É preciso cuidado redobrado com a higienização das casas, devido a proliferação do aracnídeo. No ano passado, o país viveu um surto de pessoas picadas e diversos óbitos foram registrados.

Em 2017, ainda controlada a proliferação do animal, 245 pessoas foram picadas. Já em 2018, o número dobrou, sendo 556 casos registrados. Segundo a médica veterinária e chefe do setor de serviço de controle de roedores e animais peçonhentos do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), Juliana Resende Araújo, esse número pode ser maior já que, muitas vezes, a pessoa que foi picada não procura a unidade de saúde.

Ela pontua que esse aumento nos registros aponta o crescimento e proliferação do animal, principalmente pelo crescimento populacional, mudanças ambientais e abandono de lixo em terrenos baldios.

“Se a pessoa for picada deve procurar imediatamente a unidade de saúde. Em épocas sazonais, de outubro a março, época chuvosa e de altas temperaturas, o escorpião é mais presente. Mas, isso não significa que agora não vai aparecer”, afirma.

Entre as recomendações, cuidado com ralos de banheiro, sempre vistoriar roupas, calçados, toalhas de banho e de rosto, roupas de cama, panos de chão e tapetes, antes de usá-los, bater os forros de cama e não deixar arrastando no chão, colocar uma barreira de proteção na parte inferior das portas, manter a residência sempre livre de insetos e roedores e as lixeiras sempre tampadas e com sacos plásticos.

Caso ocorra algum acidente envolvendo esses animais é preciso que o atendimento seja realizado em uma unidade de saúde.

Juliana afirma que projetos de conscientização estão sendo feitos e levados para toda população. Outro cuidado apontado pela veterinária é o cuidado com baratas em residência, já que o inseto é um dos principais alimentos para o escorpião.

“Com o aumento das chuvas e temperaturas, além dos resíduos orgânicos, a quantidade de baratas aumenta como consequências os escorpiões saem em busca de comida, então, cuidado redobrado”, destaca.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias