Sábado, 26 de Setembro de 2020
Cidades
13/09/2020 18:44:00
Incêndio chega ao estoque do Atacadão e causa explosões no prédio
Chamas se alastram e aumentam a preocupação de moradores que estão no fundo do atacadista; estoque possui vários materiais

CGNews/PCS

Imprimir
Várias explosões podem ser ouvidas no local (Foto: Marcos Maluf) (Foto: WhatsApp/DD)

O fogo que fez clientes e trabalhadores do Atacadão da avenida Duque de Caxias, no bairro Santo Antônio - região oeste de Campo Grande -, saírem às pressas do local no fim da tarde deste domingo (13) segue se alastrando e já chegou ao setor de estoque, onde ficam produtos variados, entre alimentos e inflamáveis como itens de higiene.

Além disso, o local contém muitas caixas e madeiras, onde são guardados os produtos, o que piora ainda mais a situação, dando mais material para as chamas ganharem força. Quem está na parte de trás do prédio teme pelo pior, já que são ouvidas seguidas explosões.

No momento, equipes da BPTran (Batalhão de Polícia Militar de Trânsito) e da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) já estão na avenida Duque de Caxias para impedir que curiosos parem e se aglomerem, ficando em situação de risco.

Contudo, o trânsito segue aberto no local, sendo o fluxo apenas controlado pelos agentes de trânsito e policiais militares. Ao menos seis viaturas do Corpo de Bombeiros já estão trabalhando no combate às chamas, que seguem sem controle. Um ATR (Auto Tanque Rebocável) com alta capacidade de armazenamento de água também está no local.

"Estamos ligando há horas para o Corpo de Bombeiros pedindo uma viatura aqui na parte dos fundos, contudo não conseguimos que venham aqui até agora", afirma Luciana Oliveira, sindica de um condomínio de 16 moradias vizinho ao Atacadão. Ela afirma estar muito nervosa por causa do risco das chamas irem para as casas ao lado e atrás do prédio.

Como todo equipe dos Bombeiros no local está empregada no combate ao fogo, não há informações relativas a estratégia usada para conter as chamas - assim, não há como saber o real motivo da falta de uma viatura nos fundos do Atacadão.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias