Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Cidades
10/10/2017 12:17:00
Prefeito de Janaúba fala em ‘atentado’ ao justificar ausência de alvará em creche

Metro/PCS

Imprimir

Por quase 20 anos, as salas de aula receberam professores entusiasmados. Os pátios e a biblioteca foram testemunhas do convívio de milhares de crianças, que passavam pelo menos dez horas do seu dia em atividades lúdicas e pedagógicas no Centro de Educação Infantil Gente Inocente, em Janaúba, Norte de Minas. Mas o que ninguém percebeu foi a falta de extintores, saídas de emergência e um plano contra incêndios.

“Atentado a gente não prevê”, justificou o prefeito da cidade, Carlos Isaildon Mendes (PSDB), sobre a falta de alvará na unidade. Conforme o político, na maioria dos municípios do país é assim. “Não foi por esta razão que as crianças morreram. Nas Torres Gêmeas, por exemplo, havia a melhor estrutura do mundo de prevenção e ela não reduziu o ataque. Mas a tragédia serve de alerta para dar um novo rumo às estruturas das escolas”, comparou.

Ontem, outras 23 unidades municipais foram vistoriadas pelo Corpo de Bombeiros. “Infelizmente as pessoas só se lembram da prevenção quando o acidente acontece. Precisamos insistir que é um investimento muito pequeno e que nada se compara com a dor de uma família que perdeu um ente querido em decorrência de uma situação dessa”, apontou o tenente Pedro Aihara. Além da falta de equipamentos de segurança, a estrutura da creche contava com forro de PVC, o que ajudou a alastrar as chamas rapidamente. “E pensar que poderíamos ao menos diminuir, ainda que um pouco, essa tragédia com algumas medidas”, apontou o militar.

Reconstrução em 80 dias

A previsão é que os alunos da creche voltem a ter aulas na próxima semana. “Temos um espaço que está pronto para ser inaugurado no mesmo bairro [Novo Rio]. Vamos adaptar o local para que as crianças, que já estavam acostumadas a ter uma convivência diária, não fiquem separadas. Enquanto isso, em 80 dias a nova unidade deve ficar pronta”, informou o prefeito.

Em nota, o presidente Michel Temer (PMDB) determinou que o Ministério da Educação libere os recursos necessários para a reconstrução da Gente Inocente. “Arquitetos e engenheiros já estiveram lá para os levantamentos iniciais. A preocupação é que essa nova creche não relembre em nada a anterior, para não trazer lembranças da tragédia”, disse. Ainda há previsão para a construção de um memorial no espaço.

Duas crianças respiram com a ajuda de aparelhos

Passados quatro dias da tragédia, pelo menos 24 pessoas seguem internadas em hospitais de Minas Gerais, conforme o último balanço do Corpo de Bombeiros. No Hospital João XXIII, que concentra os casos mais graves, dez pessoas recebem os cuidados da equipe médica – duas crianças ainda respiram com a ajuda de aparelhos e outros dois adultos, de 42 e 63 anos, também inspiram cuidados. “As cirurgias acontecem de forma sequencial, de acordo com a necessidade. Posteriormente, passamos para a fase da enxertia [de pele]. Durante esse período, o paciente permanece na UTI, recebendo cuidados clínicos intensivos para a manutenção da vida”, explicou Marcos Mafra, cirurgião plástico da unidade. Ontem, o número de mortos subiu para 11: o autor do crime, a professora Heley e nove crianças.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias