Terça-Feira, 25 de Setembro de 2018
Ciência e Saúde
09/07/2018 13:21:00
Rondônia confirma primeiro caso de sarampo desde 1999

Agência Brasil/LD

Imprimir

A Secretaria de Saúde de Rondônia confirmou hoje (9) o primeiro caso de sarampo no estado. Um outro caso já testou positivo para a doença, mas aguarda resultado de contraprova, a ser enviado pela Fundação Oswaldo Cruz, para ser oficialmente contabilizado. Rondônia não tinha registros de sarampo desde 1999.

Em entrevista à Agência Brasil, a diretora da Agência de Vigilância em Saúde do estado, Arlete Baldez, explicou que os pacientes são uma criança de 4 meses que mora em Porto Velho e uma mulher de 25 anos que vive no município de Vilhena. Ambas estiveram em Manaus, onde há surto da doença.

“Quase 20 anos depois do último registro, surgem esses dois casos de sarampo, decorrentes da epidemia na Venezuela, que está com fluxo migratório para vários países, inclusive o Brasil”, disse. “[O vírus] entrou por Roraima, de lá, foi para o Amazonas e, agora, chegou a Rondônia”, completou a diretora.

Vacinação antecipada

Segundo Arlete, a campanha de vacinação contra o sarampo, prevista para começar em agosto, será antecipada no estado, com previsão de início para amanhã (10). A capital, Porto Velho, já iniciou a imunização.

“Solicitamos ao Ministério da Saúde doses para antecipar a campanha e eles responderam prontamente. Vamos discutir com municípios a estratégia de divulgação e mobilização para que a gente consiga, no menor tempo possível, vacinar o público alvo.”

O esquema vacinal vigente para o sarampo é uma dose da vacina tríplice viral aos 12 meses e a segunda dose da vacina tetra viral aos 15 meses. Entretanto, em casos de surto, alguns estados optam por iniciar a imunização aos 6 meses.

Adultos com idade entre 20 e 29 anos também devem receber duas doses da vacina tríplice viral. Já os que têm entre 30 e 49 anos precisam de apenas uma dose.

A doença

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, transmissível e extremamente contagiosa. Complicações infecciosas contribuem para a gravidade do quadro, particularmente em crianças desnutridas e menores de um 1 ano.

Os sintomas incluem febre alta acima de 38,5°C; erupções na pele; tosse; coriza; conjuntivite; e manchas brancas que aparecem na mucosa bucal, conhecidas como sinais de Koplik e que antecedem de um a dois dias antes do aparecimento da erupção cutânea.

A transmissão do sarampo acontece de quatro a seis dias antes e até quatro dias após o aparecimento do exantema. O período de maior transmissibilidade ocorre dois dias antes e dois dias após o início da erupção cutânea.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias