Terça-Feira, 21 de Novembro de 2017
Ciência e Saúde
28/10/2017 11:56:00
Semana de prevenção ao diabetes ilumina Cristo de azul e promove ações para alertar sobre a doenç

JB/PCS

Imprimir

Para esclarecer a população sobre o diabetes e suas complicações, a Associação Carioca de Diabetes (ACD), a mais antiga do Rio de Janeiro, fundada em 1957 e direcionada aos diabéticos com campanhas de conscientização da doença, realiza de 12 a 15 de novembro a 11ª Semana de Atenção ao Diabético do Rio de Janeiro, com o tema “Vida Saudável e Diabetes”, que prega a prevenção da Diabetes e de suas principais complicações pela mudança do estilo de vida e monitorização constante do paciente diabético focando, este ano, especialmente na saúde da mulher.

“O objetivo da Semana de Atenção ao Diabético, é alertar a população, formadores de opinião e profissionais da saúde com informações básicas sobre vida e alimentação saudáveis e noções sobre o Diabetes Mellitus, suas possíveis complicações e ações preventivas” explica o Membro Titular da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBAV) e Presidente-executivo da ACD, Jackson Caiafa, lembrando que a doença hoje atinge 16 milhões de brasileiros, segundo os dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Este ano, mais uma vez com a ajuda e parceria do cartunista Ziraldo, foi feita uma camisa institucional com o desenho do artista, representando o alerta contra o diabetes.

Entre as atividades do Dia 14 de Novembro, terça-feira, quando se comemora o Dia Mundial do Diabetes, está prevista a iluminação do Santuário do Cristo Redentor do Corcovado, que acontece desde a primeira edição da Semana de Atenção ao Diabético do Rio de Janeiro em 2007, antecedida, às 18hs, de uma missa no local. Esse ano haverá uma atração especial, com a presença de uma grande guirlanda, formada de balões azuis que representando o cuidado e as ações de prevenção do Diabetes Mellitus em todo mundo.

No Dia 15, quarta-feira, as ações estarão fixadas na Praia de Copacabana. A partir de 07h acontecerão a Caminhada e a Pedalada Azul que pretendem estimular a prática de exercícios físicos que podem ajudar a prevenir e tratar o diabetes. Saindo da Ilha do Governador, 300 ciclistas realizarão uma Pedalada Azul comemorativa até a o Posto 3 da Praia de Copacabana, encontrando-se com os participantes da Caminhada Azul que iniciarão sua jornada no Leme.

Às 10hs, no local da chegada, mais de 10 tendas estarão montadas para a ‘XII Campanha de Prevenção ao Diabetes’ onde médicos, enfermeiros, farmacêuticos, psicólogos, podólogos e outros profissionais voluntários estarão à disposição da população em uma Ação de Saúde e Cidadania.

Serão oferecidos serviços como aferição da pressão arterial, exame dos pés dos diabéticos, teste de glicemia, antropometria, entre outros. Folders e livretos informativos sobre a doença e suas complicações serão distribuídos.

No local haverá também a revoada de 3 mil balões azuis em homenagem à data e à prevenção e ao bom tratamento do diabetes.

Participam da Semana de Atenção aos Diabéticos do Rio de Janeiro a Aliança de Atenção ao Diabetes do Rio de Janeiro, Federação Nacional das Associações e Entidades de Diabetes (FENAD), Lions e Cruz Vermelha.

SOBRE O DIABETES

O Diabetes é uma doença em que há aumento da glicemia (açúcar no sangue). Ocorre porque o pâncreas não produz insulina suficiente ou porque a insulina não age bem no organismo. A insulina é importante, pois é ela que transporta a glicose do sangue para dentro da célula para que sirva como fonte de energia. Quando não há insulina, a quantidade de glicose aumenta no sangue provocando muitas alterações do metabolismo geral e problemas tais como visão turva, dificuldade de cicatrização, muita vontade de urinar e cansaço.

Estima-se que, no Brasil, existam aproximadamente 16 milhões de diabéticos. Metade desses diabéticos não sabem que têm o problema e a outra metade, cerca de 50% a 60% não se tratam ou se tratam de forma incorreta. Lembramos que os pés dos diabéticos precisam ser examinados diariamente, pois podem ser insensíveis e os diabéticos podem machucar-se sem que percebam. Essa lesão muitas vezes pode evoluir para a amputação dos membros inferiores em função do desconhecimento dos cuidados necessários e das precárias condições de atendimento na saúde pública.

Segundo Jackson Caiafa, presidente executivo da Associação Carioca de Diabéticos – ACD, o diabético sem tratamento adequado pode ter algumas outras complicações muito graves e importantes. A arterioesclerose (acúmulo de placas de gordura nos vasos sanguíneos com oclusão desses vasos) é mais extensa e grave no diabético com isquemias de membros, doenças cérebro-vasculares (placas de carótidas com alterações da irrigação cerebral), infartos do miocárdio. A Retinopatia diabética é a maior causadora mundial de cegueira em adultos e a Nefropatia diabética a maior causadora de Insuficiência Renal Crônica com hemodiálise no Brasil e no mundo.

Entenda o pé diabético:

Principais sintomas

São dores nas pernas, principalmente com exercícios; feridas que não curam; pés inchados, azulados e ressecados; dormência nos pés e insensibilidade, o que pode levar a pessoa a não perceber uma ferida.

Cuidados

– É preciso examinar diariamente os pés e ter cuidados com bolhas, rachaduras e ressecamentos.

– Evite colocar os pés de molho, pois eles poderão rachar ou ressecar.

– Nunca ande descalço, mesmo em casa.

– Não tente remover calos ou verrugas com curiosos e pedicures sem treinamento.

– Use diariamente uma loção ou creme hidratante nos pés. Retire o excesso e não use cremes entre os dedos.

Diagnóstico

Peça para seu médico examinar seus pés em todas as consultas.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias