Domingo, 17 de Dezembro de 2017
Ciência e Saúde
25/09/2017 17:16:00
Servidora pública de MT morre na Bolívia após cirurgias plásticas
Janeane Rodrigues da Silva Fidélis Klug Cresqui, de 41 anos, morreu no sábado (23) depois de passar por cirurgias de lipoaspiração e abdominoplastia em Santa Cruz de La Sierra.

G1/PCS

Imprimir
Corpo de Janeane Rodrigues da Silva Fidelis Klug Cresqui foi sepultado nesta segunda-feira (25) em Cuiabá (Foto: Facebook/Reprodução)

Uma servidora pública de 42 anos morreu em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, no sábado (23), após passar por cirurgias de lipoaspiração e abdominoplastia. O corpo de Janeane Rodrigues da Silva Fidélis Klug Cresqui, que trabalhava como apoio administrativo na Escola Estadual Souza Bandeira, em Cuiabá, chegou na capital nesse domingo (24) e foi sepultado nesta segunda-feira (25), no Cemitério Parque Bom Jesus de Cuiabá.

Uma sobrinha de Janeane contou que a tia viajou para a Bolívia na última quarta-feira (20) junto com uma mulher que reúne pessoas interessadas em fazer cirurgias naquele país.

"Quando chegou lá, ela entrou em contato com a gente dizendo que tinha chegado bem e na quinta-feira (21) à noite, depois da cirurgia, quando ainda estava no hospital, mandou mensagem dizendo que tinha corrido tudo bem com a cirurgia", afirmou Paula Fabini.

O último contato que ela fez com a família foi na sexta-feira (22) de manhã. "Ela me mandou uma mensagem dizendo que estava bem e que ainda estava no hospital", contou. No entanto, na madrugada de sábado (23) começou o desespero da família, após uma mensagem da mulher que havia levado Janeane para o procedimento na Bolívia.

"Recebemos uma mensagem dizendo que a minha tia não estava bem e que alguém da família deveria ir urgente para lá, mas nós não temos reserva financeira para sair assim rápido. Ela jogou a informação no vento e sumiu. Me bloqueou no WhatsApp, não conseguimos mais contato com ela", disse Paula.

Em desespero, Paula contou ter tentando manter contato com o hospital e conseguiu algumas informações com uma estudante de medicina, que acompanhou o pós operatório da paciente. "Ela falou que, por volta de 2h da madrugada de sábado, a minha tia começou a ter convulsões, a se debater, teve uma parada cardíaca, demorou cerca de 25 minutos para reanimá-la", relatou.

De acordo com Paula, Janeane teve uma segunda parada cardíaca à tarde e faleceu.

A suspeita, segundo ela, é que a tia tenha passado mal em uma casa de apoio, que cuida das pessoas que vão sozinhas fazer cirurgia.

"A Ana Cristina (mulher que a acompanhava) disse que levou ela às pressas de táxi para o hospital depois que ela teve uma parada cardíaca, ou seja, ela recebeu alta hospitalar menos de 24 horas após a cirurgia, o que é errado", avaliou.

O laudo da morte aponta infarto cardíaco. A reportagem entrou em contato com a clínica, na qual a família diz ter sido realizado o procedimento, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

O corpo da vítima foi translado de Santa Cruz de La Sierra até San Matias de avião. Depois, de carro chegou até Cáceres, a 220 km de Cuiabá, onde o marido de Janeane foi buscá-lo com uma equipe funerária de Cuiabá.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias