Quarta-Feira, 18 de Outubro de 2017
Ciência e Saúde
29/09/2017 12:20:00
Testes apontam fungos e bactérias em garrafas de água

Metro/PCS

Imprimir

Pesquisa realizada por equipe de Biomedicina da Faculdade Devry Metrocamp de Campinas, no interior de São Paulo, aponta que as garrafas de água acumulam agentes contaminantes como fungos e bactérias quando não são higienizadas de forma correta. O estudo ocorreu durante 30 dias e foram analisadas 21 garrafas de água, sendo oito de crianças, sete de alunos universitários e seis de profissionais da saúde que atuam em hospitais.

Durante os testes realizados nos reservatórios, explica a microbiologista Rosana Siqueira, foram encontrados mais de 10 mil microorganismos prejudiciais à saúde. “Entre eles estavam bactérias, leveduras, bolores e fungos que podem causar quadros de diarreia, vômito, náuseas, febre e dores abdominais”, relata Rosana ao falar sobre os sintomas ocasionados por garrafas contaminadas.

“Essa análise foi muito importante porque as pessoas pensam que as garrafas são inofensivas, mas quando não são lavadas de forma correta elas podem trazer problemas”, explica a estudante de Biomedicina Thaysi Ramirez, que também participou da realização dos testes nos recipientes.

Para efetuar o estudo os pesquisadores analisaram garrafas de públicos distintos – crianças, jovens e adultos que trabalham em hospitais – com o objetivo de perceber a presença de agentes contaminantes em espaços diferentes. “No caso dos profissionais da saúde, por exemplo, percebemos que algumas garrafas tinham bactérias responsáveis por quadros de infecção hospitalar. No caso das crianças percebemos fungos. No geral o que mais surpreendeu foi a presença de coliforme fecal porque as pessoas vão ao banheiro, não limpam as mãos de forma adequada e acabam pegando nas garrafas. Esses microorganismos são oportunistas e causam problemas quando a pessoa já está com o sistema imunológico debilitado, sendo mais vulnerável”, alerta Rosana.

Ao final do dia, por exemplo, muitos usuários não descartam o resto de água da garrafa e não lavam os recipientes “Isso traz umidade e favorece o surgimento de microorganismo, aumentando o risco de uma infeccção e intoxicação”, explica a microbiologista.

A forma mais adequada de lavar as garrafas é usar água, sabão e escova para limpar bem. Utilizar água fervente não é recomendado porque algumas garrafas são feitas de plástico e podem liberar substâncias tóxicas que são acionadas em altas temperaturas.

Os recipientes devem ser guardados limpos e secos e longe da umidade.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias