Quinta-Feira, 16 de Agosto de 2018
Comportamento
03/08/2018 18:41:00
Maioria dos homens mente sobre número de parceiras sexuais que já teve
Os homens estão mais dispostos a mentir e a exagerar acerca do número de parceiras sexuais com quem já estiveram, indica a pesquisa

NM/PCS

Imprimir

Um novo estudo britânico sugere que os homens estão mais propensos a exagerarem sobre o seu número de conquistas, de modo a parecerem mais másculos. Enquanto isso, as mulheres continuam desvalorizando o número de parceiros que tiveram, por medo de julgamento.

Os indivíduos do sexo masculino tendem, em média, a afirmar que estiveram sexualmente com cerca de 14 mulheres, enquanto que as mulheres tendem a dizer que foram para a cama com não mais de sete homens.

Todavia, um grupo de pesquisadores da Universidade de Glasgow, na Escócia, sugere que ambos os gêneros estão mentindo – e que a verdadeira média de conquistas de cada sexo está entre esses dois números.

Os acadêmicos avaliam que os homens estão mais predispostos a exagerar para parecerem mais machos. Aliás, um em cada 100 ‘Romeus’ envolvidos naquele estudo garantiu que já tinha tido relações sexuais com mais de 110 parceiras.

Ao invés, as mulheres tendem a reduzir o seu número real por receio de serem consideradas promíscuas. Julgam também mais quando o assunto são casos de uma noite e traições. As mais ‘liberais' admitiram ter estado intimamente com 50 homens.

A professora catedrática Kristin Mitchell, que analisou a história e atitudes sexuais de 15,162 indivíduos, de idades compreendidas entre 16 e 74 anos, disse: “Persiste uma pressão contínua e que já deveria ter sido ultrapassada para que os homens sejam mais sexualmente ativos e para as mulheres serem vistas como castas”.

“Estas normas de gênero e aquilo que é considerado, mesmo que inconscientemente, expectável pela sociedade, influenciam as respostas que as pessoas dão – os homens exageram e as mulheres subestimam”, acrescentou.

E concluiu: “O número médio de parceiros para ambos os sexos está de fato entre os sete e os 14”.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias