Sábado, 15 de Dezembro de 2018
Comportamento
05/12/2018 12:21:00
Muito sono pode estar ligado a doenças cardíacas, revela estudo
Pesquisadores dizem que a quantidade mais saudável de adultos para dormir deve ser entre seis e oito horas por dia

SkyNews/PCS

Imprimir

Pesquisadores descobriram que a morte e as doenças do coração ou dos vasos sanguíneos no cérebro são mais propensas a afetar pessoas que dormem mais de oito horas por dia, em comparação àquelas que dormem entre seis e oito horas. O estudo analisou dados de 116 mil pessoas com idades entre 35 e 70 anos em 21 países diferentes.

Quando retornaram, em média, oito anos depois, encontraram 4.381 mortes e 4.365 "eventos cardiovasculares maiores". Os participantes que dormiam um total de oito a nove horas por dia tinham um risco 5% maior de sofrer um incidente do que aqueles que dormiam de seis a oito horas.

O risco aumentou para um risco 17% maior de pessoas dormindo entre nove e dez horas por dia, enquanto aquelas que dormem mais de dez horas por dia tiveram um risco aumentado de 41% de doença cardiovascular ou morte.

A equipe internacional escreveu no European Heart Journal que o sono é essencial para a saúde humana, e as pessoas passam cerca de um terço de suas horas dormindo. "É cada vez mais considerado como um comportamento importante no estilo de vida que pode afetar a doença cardiovascular e a morte".

O professor Salim Yusuf, da Universidade McMaster, em Ontário, no Canadá, disse que público, em geral, deve garantir que eles obtenham cerca de seis a oito horas de sono por dia. "Por outro lado, se você dorme muito regularmente, digamos mais de nove horas por dia, então você pode querer visitar um médico para verificar sua saúde geral", recomenda.

"Para os médicos, incluir perguntas sobre a duração do sono e cochilos diurnos nas histórias clínicas de seus pacientes pode ser útil para identificar pessoas com alto risco de problemas cardíacos e de vasos sangüíneos ou morte", afirmou Yusuf.

A equipe também encontrou um aumento de 9% no risco para as pessoas que dormiram um total de seis ou menos horas, mas esse resultado não foi estatisticamente significativo.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias