Quinta-Feira, 14 de Dezembro de 2017
Coxim
14/11/2017 15:15:00
Comerciantes do bairro Senhor Divino pedem providências sobre Nem

Sheila Forato

Imprimir
Foto: Sheila Forato

Pelo menos 15 comerciantes do bairro Senhor Divino, em Coxim, estão pedindo socorro as autoridades constituídas. Eles querem providências a respeito de Lucineide Furtado da Silva, de 35 anos, conhecida por todos como “Nem”.

Os comerciantes contam que ela tem tirado o sossego da região, em torno do Ginásio de Esportes Ademir Mochi. A insatisfação é de donos de bares, conveniências, lanches, lojas, óticas, padarias e salão de beleza, enfim, é geral.

Nem tem problemas psicológicos e para piorar a situação faz uso de bebidas alcoólicas e drogas. Ela anda suja, tem mal cheiro e espanta clientes dos comércios. Um dos comerciantes contou que ela perturba os clientes, que acabam indo embora, causando prejuízo a todos.

Como se não bastasse, nos bares e conveniências ela entra, pega bebidas e sai sem pagar, outras vezes furta. Nas lojas ela quer experimentar roupas, no salão pega cremes e passa no cabelo. “Estamos no limite. Não adianta acionar a polícia, pois fica um jogo de empurra”, disse um dos empresários.

Para tentar solucionar o problema, os comerciantes se reuniram na tarde desta terça-feira (14) e convidaram o secretário de Assistência Social, Adenilson Vilalba, que está intermediando junto a família pela internação de Nem.

Depois da reunião, o secretário foi até a casa de Maria de Fátima da Silva, mãe de Nem, para pedir que a mesma convença a filha a ir numa consulta, na quinta-feira (16), no CAPS (Centro de Atendimento Psicossocial), para que o setor de psiquiatria cuide do caso.

A mãe se comprometeu a tentar convencer a filha, que praticamente mora nas ruas, mas já adiantou que não vai obrigar Nem a se tratar. De acordo com o secretário, a internação compulsória seria uma saída, mas a família não aceita. Há muitos anos Nem perambula pelas ruas de Coxim. Ela é mãe de três filhos, de 19, 17 e 8 anos. Nenhum vive sobre sua responsabilidade.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias