Quarta-Feira, 23 de Outubro de 2019
Cultura
08/10/2019 10:00:00
Sete meses após absolvição, cantor de Coxim tenta refazer carreira onde tudo começou

Sheila Forato

Imprimir
Dupla de Coxim com Ruan e Maria, ex-parceiro e mãe de Airo (Foto: MS Todo Dia)

Sete meses após ser absolvido, o cantor Rickson (Nicanor Sebastião do Nascimento) tenta refazer a carreira. A primeira apresentação oficial, ao lado do irmão Wanderley, aconteceu na semana passada, no 1° Festival Canta Airo Barcelos, realizado em Alcinópolis.

Cantando uma música de Airo Barcelos – Aprendi a esperar – a dupla coxinense garantiu o segundo lugar. Entretanto, o peso de voltar a cantar num festival em Alcinópolis, pequena cidade do norte de Mato Grosso do Sul, é muito maior do que o resultado.

É que há 21 anos, Rickson e Wanderley se apresentaram pela primeira vez na cidade e venceram o festival, desbancando a dupla João Bosco e Vinícius, que pouco tempo depois estourou em todo o Brasil com o sertanejo universitário.

Os irmãos não tiveram a mesma sorte, mas continuaram peleando, cantando e trabalhando de outras formas para sustentar suas famílias. Depois de alguns anos eles se desentenderam e a dupla Rickson e Wanderley chegou ao fim.

Em 2017 Rickson foi apontado como autor da morte de Reinaldo Dias, um homossexual que foi espancado até a morte no bairro Primeiro de Maio, em Coxim. Foram 468 dias na cadeia, porém, em 13 de março o cantor foi absolvido.

De acordo com um de seus advogados, Edilson Magro, a acusação feita pelo MPE (Ministério Público Estadual) não conseguiu produzir provas que comprovassem a autoria e o júri popular absolveu o acusado.

Agora, a defesa de Rickson estuda a possibilidade de acionar o estado numa ação de indenização por danos, alegando omissão de investigação por parte da polícia. “Somos conhecedores que o estado estava exercendo seu direito legal, mas, entendemos que, neste caso, houve omissão por parte da investigação”, declarou Magro.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias