Terça-Feira, 20 de Abril de 2021
Economia
26/03/2021 14:31:00
Após quase 30 anos, Eunice Argerin perde concessão da rodoviária de Coxim

Sheila Forato

Imprimir
Foto: Reprodução/Facebook

Eunice Argerin, mãe do ex-candidato a prefeito Pedro Ronny Argerin, perdeu a concessão para operar o terminal rodoviário de Coxim. A Prefeitura notificou a empresa Eunice H. da Cunha Argerin e Cia Ltda, que explorava o serviço há quase 30 anos, no último dia 24. Entretanto, a empresária ainda não fechou a rodoviária e continua recebendo os ônibus, pois o município não abriu outra licitação para exploração dos serviços.

O último contrato de concessão assinado entre a Prefeitura e Eunice foi em fevereiro de 2011, na gestão de Dinalva Mourão, com prazo de 10 anos e vencimento em 25 de fevereiro. Caso houvesse interesse público, o mesmo poderia ser prorrogado por mais 10 anos, ou seja, até 2031. Eunice lamentou a interrupção da exploração, uma vez que estava reformando todo o prédio da rodoviária para melhor atender os passageiros de Coxim e os que passam por aqui.

"Estamos atravessando uma pandemia, tive muitos prejuízos, principalmente com arrendamento do restaurante e da lanchonete da rodoviária. O Coronavírus chegou e os arrendatários simplesmente não tiveram mais condições de manter seus negócios abertos com tanto abre e fecha. Agora, sou surpreendida com o término repentino da concessão. Era minha única renda", declarou a empresária de 79 anos, que é viúva.

Segundo Eunice, ela refinanciou seu veículo para fazer a reforma no prédio, que estava sendo finalizada. Os banheiros foram totalmente reformados, a sala vip também foi adequada, além de nova pintura em todo o prédio e adequações de elétrica e hidráulica. Uma das filhas de Eunice, Nívea Mara Argerin Rossato, demonstrou indignação com a situação da mãe e apostou que a interrupção seja retaliação à Pedro Ronny, com quem o atual prefeito disputou a Prefeitura de Coxim no ano passado.

Foto: Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução/Facebook

Nívea afirma que uma nova empresa que se instalou as margens da BR-163 está funcionando como "ponto de apoio" dos ônibus, desde que sua mãe foi obrigada a fechar a rodoviária no ano passado, por conta da pandemia. A família já adiantou que vai acionar à Justiça e denunciar o que entende como direcionamento ao MPE (Ministério Público Estadual).

A acusação de retaliação e direcionamento foi veementemente negada pelo prefeito de Coxim, Edilson Magro (DEM). Através da assessoria de imprensa, a Prefeitura informou que uma nova licitação para concessão da exploração do serviço será aberta nos próximos dias e que inclusive a empresa Eunice H. da Cunha Argerin e Cia Ltda pode participar.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias