Segunda-Feira, 15 de Julho de 2024
Economia
15/11/2023 08:35:00
Litro do etanol diminui 34,3% em 2 anos e MS tem um dos menores preços do País

CE/LD

Imprimir

O preço do litro do etanol registra queda de 34,38% no período de dois anos em Mato Grosso do Sul. Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em novembro de 2021, o litro do biocombustível era comercializado, em média, a R$ 5,38, enquanto neste ano é comercializado a R$ 3,53.

No comparativo dos valores máximos praticados em 2022 e neste ano, também é possível observar queda acentuada. Em novembro do ano passado, o litro do etanol hidratado era comercializado a R$ 3,67, enquanto neste mês, entre os dias 5 e 11, o combustível era vendido a R$ 3,53, ou seja, queda de 7,63%.

Ainda de acordo com os dados da ANP, no período, os valores mínimos encontrados em Mato Grosso do Sul foram de R$ 3,45, em 2022, e de R$ 3,19, neste ano. Quando considerado o preço médio comercializado na última semana, em Campo Grande, a redução se acentua, com o litro do etanol vendidoa R$3,39.

No ranking de preços divulgados no último levantamento da ANP, o Estado aparece na quinta posição com o litro do etanol mais barato comercializado no País (R$ 3,53), ficando atrás de Mato Grosso (R$ 3,24), Goiás (R$ 3,29), São Paulo (R$ 3,44) e Minas Gerais (R$ 3,48).

O diretor-presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo e Lubrificantes de Mato Grosso do Sul (Sinpetro), Edson Lazarotto, aponta que, com os preços praticados no Estado, foi identificado um aumento no consumo do biocombustível.

“Em 2021, no Estado, o volume médio comercializado de etanol foi de 14,692 milhões de litros, enquanto em 2022 a média de venda ficou em 12,025 milhões de litros, período em que é possível observar uma redução”, aponta o presidente do Sinpetro.

Lazarotto apresenta ainda dados deste ano: somente no primeiro semestre, os consumidores de Mato Grosso do Sul adquiriram uma média de 10,815 milhões de litros de álcool. Na comparação com o volume médio total do ano anterior, este ano deve ultrapassar a quantidade comercializada. “Observa-se que, caso se mantenha o índice de consumo, teremos um aumento de volume para o etanol na ordem de 67%”, avalia.

Para o representante dos empresários do ramo de combustíveis de MS, o crescimento se deve à competitividade que o produto obteve perante a principal concorrente, a gasolina. “O consumidor está optando por abastecer seu veículo com o biocombustível”, frisa Lazarotto.

Atualmente, na comparação de preços, o etanol está competitivo em relação à gasolina, uma vez que, para que a troca compense, é preciso dividir o valor do etanol pelo da gasolina e o resultado deve ficar abaixo de 0,7. Por exemplo, ao dividir R$ 3,53 (etanol) por R$ 5,47 (preço médio da gasolina), o resultado é 0,6, ou seja, a troca compensa em Mato Grosso do Sul.

CAMPO GRANDE

De acordo com levantamento de preços realizado pela ANP no período de 5 a 11 deste mês, o preço médio do litro do etanol hidratado é de R$ 3,39. Já o menor valor de venda é de R$ 3,28, e o maior, de R$ 3,79. A gasolina comum, principal combustível fóssil consumido, no mesmo período, em Campo Grande, era comercializada em média a R$ 5,34 por litro. Ainda conforme levantamento da ANP, o menor preço encontrado na Capital na última semana ficou em R$ 5,24, e maior, em R$ 5,58.

Em Campo Grande, o preço do litro do etanol está em patamar parecido ao praticado durante o pico da pandemia de Covid-19, em 2021, abaixo de R$ 4.

“Sempre que a gasolina sobe, há espaço para aumento do etanol. E sempre que a gasolina cai, o produtor de etanol não consegue vender se não baixar o preço também”, explica o mestre em Economia Lucas Mikael, levando em consideração os fatores que podem afetar os valores do produto.

O economista acrescenta que o consumidor vai naturalmente abastecer mais com o biocombustível com o aumento da gasolina.

“É importante destacar também que há fatores secundários que afetam o preço do etanol, como a entressafra e as questões climáticas, realidade vivida atualmente no Estado”, ressalta Mikael.

CENTRO-OESTE

Pesquisa divulgada pelo Índice de Preços Ticket Log (IPTL) aponta que, em outubro, o preço médio do litro do etanol fechou o mês a R$ 3,65 na Região Centro-Oeste, média mais baixa do País, após recuo de 0,82% quando comparado com a primeira quinzena do mês.

Já o litro da gasolina recuou 0,33% e foi encontrado a R$ 5,96. O preço do diesel comum registrou redução de 0,31% e foi vendido a R$ 6,34, enquanto o diesel tipo S10 foi encontrado a R$ 6,55, ou seja, 0,15% mais barato.

Entre os destaques nacionais, Mato Grosso comercializou o etanol mais barato do País, enquanto Goiás registrou a redução mais expressiva no preço do litro do combustível.

“O etanol foi considerado economicamente mais vantajoso para abastecimento em todo o Centro-Oeste, além de ser ecologicamente mais viável, por ser capaz de reduzir consideravelmente as emissões de gases responsáveis pelas mudanças climáticas”, analisa Douglas Pina, diretor-geral de Mobilidade da Edenred Brasil.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias