Domingo, 17 de Dezembro de 2017
Educação
12/10/2017 07:13:00
Estudante de Coxim é finalista no concurso do Programa Agrinho do Senar

Da redação/PCS

Imprimir
Foto: Divulgação

A estudante Maria Clara Celestino, de 7 anos, do primeiro ano do Ensino Fundamental da Escola Municipal Maria Lucia Batista, de Coxim, é finalista no concurso estadual do Programa Agrinho, do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural - Senar.

Ela é autora de um desenho artístico que consta entre os 5 finalistas de Mato Grosso do Sul na categoria Ensino Fundamental e foi orientada pela professora Suevelyn Teodoro Azambuja. Em 2017 foram inscritos 2.607 trabalhos entre desenhos e redações. A cerimônia de premiação será realizada no dia 26 de outubro, em Campo Grande.

A secretária municipal de Educação, Raquel Singh, diz que o fato de Maria Clara ser finalista do concurso engrandece a comunidade escolar: "É um programa de grande relevância que faz as crianças entenderem a importância da produção no campo no contexto da sociedade, valorizando as pessoas do ambiente rural. Essa premiação mostra que nossos professores estão desenvolvendo muito bem seu papel e os estudantes absorvendo esse conhecimento plenamente. Parabenizo a Maria Clara e toda a equipe docente da escola".

Carla Batista, diretora da Escola Municipal Maria Lucia Batista, diz toda a equipe da escola está muito feliz e explica a importância do Programa Agrinho: "O Senar envia as apostilas para cada aluno, que são analisados pela coordenadora pedagógica Josimara Motta, e são encaminhadas aos professores, que aplicam o conteúdo nas aulas. É quase uma disciplina e os alunos têm interpretado muito bem essas informações".

Premiação

Neste ano, o número de participantes que serão premiados aumentou de três para cinco em cada categoria. Nas categorias desenho e redação, os prêmios vão de uma bicicleta até um notebook para os alunos e R$ 500 para os professores.

Na categoria da experiência pedagógica, vão de R$ 1 mil a R$ 8 mil para os professores e de R$ 500 a R$ 1 mil para os coordenadores. Na escola Agrinho, de R$ 800 a uma lousa digital para os colégios e de R$ 1 mil a R$ 4 mil para os coordenadores.

Informações da Assessoria de Imprensa da Prefeitura

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias