Sexta-Feira, 20 de Setembro de 2019
Educação
05/09/2019 10:37:00
IFMS seleciona projetos para atender demandas do setor produtivo

Da assessoria/LD

Imprimir

O Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) publicou na última sexta-feira, 30, na Central de Seleção, o resultado final da seleção de projetos de Pesquisa Aplicada e Extensão Tecnológica (Paet). Foram aprovadas dez propostas dos campi Campo Grande, Coxim, Naviraí, Ponta Porã e Três Lagoas.

Por meio do edital nº 009/2019, o IFMS investirá R$ 103,4 mil no desenvolvimento dos projetos, com a concessão de bolsas aos coordenadores, estudantes participantes e custeio para o desenvolvimento dos propostas. A seleção prevê ainda a contrapartida de, no mínimo, 15% do valor total por parte das instituições ou empresas demandantes.

Foram selecionados projetos que visam à solução de problemas reais do setor produtivo e da sociedade, com foco no desenvolvimento de produtos, processos e serviços tecnológicos e sua transferência ao setor produtivo.

Em sua quarta edição, a seleção para a Pesquisa Aplica e Extensão Tecnológica registrou o maior número de propostas selecionadas em 2019.

“Foi a primeira vez que tivemos mais inscritos do que vagas disponíveis. Isso mostra que professores e empresas começam a conhecer o edital e usá-lo para resolver seus problemas. A demanda existe, o que ocorre é que muitas vezes os empresários não sabem a quem recorrer”, apontou o diretor de Empreendedorismo e Inovação do IFMS, Matheus Neivock.

A execução das propostas aprovadas começa neste mês e segue até agosto de 2020.

Projetos - Das dez propostas selecionadas, quatro são do Campus Três Lagoas. Uma delas, “Solução computacional para visualização de parâmetros físico-químicos aplicado a pecuária de corte”, baseia-se na aplicação da tecnologia 4.0 – entendida como a fase de digitalização do setor produção – na agropecuária.

“Buscamos levar a tecnologia da informação ao produtor rural de tal forma que possibilite que ele melhores seus resultados na produção de bovinos, consequentemente aumentando os lucros. Com a implantação do sistema, a propriedade rural estará apta a adotar métodos para aplicação da agropecuária 4.0”, informou o responsável pelo projeto, Marcio Oliveira, professor de Informática da unidade.

A proposta dará continuidade a um protótipo desenvolvido em edições anteriores do edital, voltado a medir parâmetros da água consumida por bovinos, mirando a utilização de inteligência artificial em fases futuras. O projeto tem como empresa demandante a Tecboi Certificadora, que fica no município.

Parceria - Outros projetos aprovados darão prosseguimento a parcerias já firmadas. É o caso de dois deles, que serão desenvolvidos em Naviraí, tendo como demandante a Cooperativa Agrícola Sul Matogrossense (Copasul), sediada no município, e que participa do edital como parceira do IFMS pela segunda vez.

Um dos selecionados é o “Implementação do modelo de balanço hídrico climatológico de Thornthwaite e Mather no aplicativo IFClima”. O objetivo é acrescentar informações ao aplicativo, em desenvolvimento desde 2017, para que os produtores da região possam tomar decisões e realizar o planejamento da maneira mais adequada.

“O balanço hídrico é a contabilização da entrada e saída de água no solo em um determinado período. É uma variável extremamente importante para a agricultura, uma vez que a irrigação, as datas de plantio e a escolha dos melhores locais de semeadura ocorrem em função dessa variável”, explicou o coordenador do projeto e docente de Ciências Agrárias do Campus Naviraí, Lucas Aparecido.

A primeira versão do aplicativo IFClima já está disponível para ser baixada gratuitamente.

Outro projeto, este submetido pela primeira vez e que também será desenvolvido em parceria com a Copasul, intitula-se “Desenvolvimento de dispositivo para limpeza automática de painéis fotovoltaicos”.

A proposta se baseia no crescimento da implantação e utilização de energia solar tanto residencial quanto industrial, visando ao desenvolvimento de um protótipo automatizado para limpezas periódicas de baixo custo.

“A deposição de impurezas na superfície das placas fotovoltaicas é um grande problema, pois diminui a eficiência da geração de energia elétrica. Para realização de limpezas, surge a necessidade da automatização, diminuído custo, riscos e perdas”, destacou o idealizador da proposta, Guilherme Torsoni, professor de Física do campus.

A pesquisa aplicada abrangerá silos da cooperativa localizados em Amandina, distrito de Ivinhema, e no município de Novo Horizonte do Sul.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias