Quarta-Feira, 19 de Dezembro de 2018
Eleições 2018
10/10/2018 14:58:00
DEM anuncia que não apoiará Haddad nem Bolsonaro no 2º turno, mas libera filiados

G1/LD

Imprimir

O presidente do DEM, Antônio Carlos Magalhães Neto, divulgou nota nesta quarta-feira (10) anunciando que o partido não apoiará no segundo turno da disputa pelo Palácio do Planalto nem Jair Bolsonaro (PSL) nem Fernando Haddad (PT). No entanto, o comunicado do DEM destaca que os integrantes da legenda terão liberdade para apoiar quem quiserem na reta fina da eleição presidencial (leia ao final desta reportagem a íntegra da nota).

Nos últimos três dias, vários partidos têm se posicionado em relação ao segundo turno, seja a favor de Bolsonaro, de Haddad ou declarando neutralidade. Assim como o DEM, outros cinco partidos também optaram por não apoiar nem um nem outro candidato na fase decisiva da eleição: PSDB, PP, PRB, DC e Novo. Até o final da semana, outras siglas também vão anunciar seu posicionamento no segundo turno.

No primeiro turno, o DEM integrou a coligação do presidenciável do PSDB, Geraldo Alckmin. Em sua segunda tentativa de assumir o comando do Planalto, o tucano ficou na quarta colocação, com 4,76% dos votos válidos. Além de Bolsonaro e Haddad, o candidato do PDT, Ciro Gomes, também ficou à frente de Alckmin na votação do último domingo. (7).

"Ficam, assim, os nossos líderes e militantes de todo Brasil liberados para, seguindo as suas convicções, apresentarem a sua manifestação de voto neste segundo turno", disse ACM Neto.

Na nota, o presidente do DEM criticou o PT e argumentou que não cabe "mensalão" ou "petrolão" neste novo cenário eleitoral.

"Conectado com a vontade de mudança do povo brasileiro, nosso partido assume o compromisso de contribuir com a construção do Novo Brasil, um país completamente diferente daquele que nos foi legado pelo PT nos últimos anos. O nosso propósito é trabalhar por um novo ambiente, onde a nação seja pacificada e os valores nacionais prevaleçam sobre interesses não republicanos que conduziram o Brasil à pior crise econômica, política, social e moral de sua história", escreveu.

O partido, que atualmente tem 43 deputados federais, conseguiu conquistar 29 cadeiras na Câmara nesta eleição. Apesar de ter eleito 21 deputados em 2014, ao longo da legislatura, muitos parlamentares de outras legendas migraram para o DEM.

Veja a íntegra da nota divulgada pela presidência do DEM:

Democratas em sintonia com o sentimento nacional de mudança

O resultado das eleições de 2018 é motivo de comemoração para o Democratas. Elegemos 29 deputados federais, quatro senadores e dois governadores já no primeiro turno. O nosso partido alcançou um expressivo crescimento, consequência de uma história de coerência e compromisso com nossos princípios e ideais. Todo o esforço que vem sendo feito desde a última convenção de refundação do partido nos trouxe frutos significativos. Efeitos, esses, que nos enchem de confiança para continuarmos crescendo com consistência e sintonizados com as demandas da sociedade.

A eleição deste ano demonstrou que os brasileiros desejam e exigem profundas mudanças na política do nosso país. Este foi o principal recado das ruas e das urnas. E o Democratas compreendeu a mensagem.

Conectado com a vontade de mudança do povo brasileiro, nosso partido assume o compromisso de contribuir com a construção do Novo Brasil, um país completamente diferente daquele que nos foi legado pelo PT nos últimos anos. O nosso propósito é trabalhar por um novo ambiente, onde a nação seja pacificada e os valores nacionais prevaleçam sobre interesses não republicanos que conduziram o Brasil à pior crise econômica, política, social e moral de sua história.

Neste novo tempo que se anuncia, não cabem invasão e destruição de propriedades, e muito menos mensalão ou petrolão. É o momento de substituir a prática do “toma lá dá cá” da velha política pelos verdadeiros interesses públicos. Governar com os mais qualificados e ter responsabilidade fiscal. Encontrar uma solução para os mais de 13 milhões de brasileiros que estão desempregados. É hora de enfrentar, com coragem e determinação, o desafio de soerguer o nosso país.

Ficam, assim, os nossos líderes e militantes de todo Brasil liberados para, seguindo as suas convicções, apresentarem a sua manifestação de voto neste segundo turno.

Antonio Carlos Magalhães Neto

Presidente Nacional do Democratas

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias