Domingo, 22 de Outubro de 2017
Eleições 2018
19/05/2017 07:51:00
Temer pretendia se lançar candidato em 2018 antes de delação da JBS

Folha/Mônica Bergamo/PCS

Imprimir

A delação premiada dos donos da JBS jogou um balde de gelo nas pretensões políticas de Michel Temer. Animado por estudos levados a ele pelo ministro Moreira Franco (PMDB-RJ), o presidente estava convencido de sua viabilidade eleitoral e já fazia planos de concorrer à reeleição em 2018.

"Estarei no segundo turno", disse Temer a interlocutores próximos dias antes de a bomba explodir em seu colo. Pelos planos dele e de Moreira, a reforma da Previdência seria aprovada na Câmara, a economia aceleraria no próximo ano e a popularidade do presidente subiria.

DO LAR Joesley Batista frequentava não apenas a residência oficial como também a casa de Temer em São Paulo.

PREOCUPADO E o empresário reforçou sua segurança e de sua família depois que iniciou as tratativas para o acordo de delação premiada.

LEMBRANÇA O advogado Antonio Claudio Mariz de Oliveira tinha voltado à bolsa de apostas para o Ministério da Justiça dias antes de o novo escândalo vir à tona. O atual ocupante da pasta, Osmar Serraglio (PMDB-PR), entrou no cardápio de delatores da Operação Carne Fraca.

A CALHAR Seguidores de Geraldo Alckmin festejavam na quinta (18) o escândalo que se abateu sobre Temer. Na análise de alguns deles, a discussão sobre sucessão voltaria à esfera política, onde amizades e conchavos podem contar mais que popularidade. E esvaziaria, pelo menos temporariamente, o nome de João Doria para a Presidência da República.

RESPIRO Segundo um apoiador do governador, a discussão deixaria evidente a importância da política, onde Doria até agora não teria fôlego.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias