Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018
Esportes
12/06/2018 14:55:00
Cruzeiro de luto: morre Zé Carlos, segundo jogador que mais vestiu a camisa celeste

Globo Esporte/LD

Imprimir

Um dos maiores volantes da história do Cruzeiro faleceu nesta terça-feira - a causa da morte não foi divulgada. O ex-volante Zé Carlos, segundo jogador que mais vestiu a camisa celeste (633 partidas), estava com 73 anos. Jogou pelo clube entre 1965 e 1977, quando venceu uma Libertadores, uma Taça Brasil e dez campeonatos mineiros.

Em agosto de 2016, um grupo de ex-jogadores do Cruzeiro, encabeçado pelo volante Reginaldo, campeão mineiro e da Copa do Brasil em 1996, organizou um jogo beneficente com veteranos do América-MG, para arrecadar fundos e ajudar no tratamento de Zé Carlos, que havia sofrido um acidente vascular cerebral (AVC) isquêmico e ficou com dificuldade para falar e se locomover.

Uma das primeiras personalidades do futebol a se manifestar foi o ex-jogador Procópio Cardozo, que postou uma mensagem no Twitter.

  • A gente não pode questionar Deus. Ele estava sofrendo muito aqui. Só ficava em casa, não podia sair. A esposa, muito dedicada, cuidava dele. Tenho certeza que é dia de alegria no céu, porque era um homem muito bom. Zé Carlos foi muito importante na minha vida. Quando machuquei, aos 28 anos, fiquei cinco anos sem jogar. E na minha volta, ele e Perfumo (ex-zagueiro, já falecido) me ajudaram muito. Pelo homem, pelo amigo, lamento muito - comentou Procópio, que jogou com Zé Carlos no Cruzeiro e no Fluminense, em conversa com o GloboEsporte.com.

A Conmebol prestou homenagem ao ex-jogador com post no Twitter da entidade.

De acordo com matéria publicada no site oficial do Cruzeiro em 2016, três anos antes "o ídolo eterno procurou a direção do Maior de Minas e pediu para ser desligado do quadro de funcionários. Mesmo alertado pelo Clube sobre o fim dos benefícios, a perda do salário de três mil reais, plano de saúde e convênios, Zé Carlos acabou optando pela saída".

Na ocasião, ainda segundo informações do clube, Zé Carlos recebia aposentadoria e, também, uma ajuda de custos para tratamento de saúde através da AGAP (Associações de Garantia ao Atleta Profissional), e auxilio de fisioterapia.

O único jogador que atuou mais vezes com a camisa do Cruzeiro que Zé Carlos ainda está no clube: é o goleiro Fábio, com 774 partidas.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias