Sábado, 25 de Maio de 2019
Esportes
23/04/2019 13:52:00
Cuca vê Gonzalo Carneiro inseguro no São Paulo e pede que atleta seja acolhido: "Não pode fazer julgamento"

Globo Esporte/LD

Imprimir

O técnico Cuca, do São Paulo, comentou sobre o problema de Gonzalo Carneiro, suspenso provisoriamente por suspeita de uso de cocaína em exame antidoping.

Gonzalo Carneiro foi pego em exame feito após o jogo contra o Palmeiras no Pacaembu, na primeira fase do Paulistão, no dia 16 de março - ele jogou os 90 minutos, e o Tricolor perdeu por 1 a 0.

– Na verdade é um tema delicado que a gente não pode hoje fazer qualquer julgamento sem antes saber o que aconteceu. Eu já estava sabendo na semana passada antes do jogador. Não lembro se foi quarta ou quinta, e eu vi ele passando e falei que queria falar com ele. Ficamos conversando ali na boca da noite. Eu tenho filhos, ele tem 23 anos e ele está aqui em São Paulo no primeiro grande clube dele – disse Cuca, nesta terça-feira.

– A gente não pode fazer julgamento, é um ser humano. Tivemos um caso aqui no São Paulo e é esperar. Vamos esperar a Fifa e depois falar com o Gonzalo. A vida é propensa a isso a todos os jovens, não só o Régis, o Gonzalo, não só aqui no São Paulo Todos estão propensos a isso na noite, em uma festa. Eu não entrei no mérito do que aconteceu com ele. Entrei no mérito do que é uma cidade grande, dos perigos. Agora é acolher – completou o treinador do São Paulo.

O empresário do jogador, Pablo Bentacur, confirmou a informação do GloboEsporte.com de que Gonzalo Carneiro tem depressão e disse que o uruguaio não sabia o que estava consumindo.

Na semana passada, Gonzalo Carneiro conversou com o técnico Cuca e os dois se emocionaram. O uruguaio desabafou sobre o problema com o treinador, que, naquele momento, se colocou no papel de pai (ele tem duas filhas) e quis dar apoio ao jogador.

Mesmo em meio à final do Paulistão, Cuca não quis dar uma bronca em Gonzalo Carneiro. O técnico quis dar atenção ao lado humano do jogador. O uruguaio, por sua vez, mostrou preocupação com uma eventual punição esportiva ao time.

– Eu senti ele muito inseguro por estar em um clube grande. Ele não está a vontade. E isso mexe dentro de campo. Ele teve altos e baixo. Foi bem no pênalti da cavadinha, depois foi mal no outro jogo. Então senti muita insegurança. É uma pena que eu não pude conversar com ele antes. A gente não sabe se aconteceu mesmo – disse Cuca.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias