Quarta-Feira, 6 de Dezembro de 2023
Geral
21/11/2023 10:27:00
Consumo de energia em MS bate recorde e diferença é capaz de abastecer Dourados

CE/LD

Imprimir

Com as altas temperaturas que atingem Mato Grosso do Sul nos últimos meses, o consumo de energia tem alcançado números extremos. De acordo com a Energisa, fornecedora de energia de Mato Grosso do Sul, em setembro e em novembro, foram registrados recordes de demanda no Estado, com diferença de até 8 megawatts entre os dias 25 e 26 setembro, valor capaz de abastecer Dourados por mais de um dia.

Ao Correio do Estado, a Energisa informou que os maiores registros ocorreram na primeira onda de calor do ano, que fez o uso de energia elétrica atingir patamares altos nos dias 21, 25 e 26 de setembro, com consumo de 1.248 megawatts-hora (MWh), 1.395 MWh e 1.403 MWh, respectivamente.

Segundo Jonas Ortiz, coordenador comercial da Energisa, apenas a diferença de elevação no consumo entre os dias 25 e 26 de setembro seria capaz de abastecer toda a cidade de Dourados por mais de um dia.

“As famílias sul-mato-grossenses consumiram, em média, 41% mais energia entre os meses de agosto e novembro do que no restante do ano. Em outubro deste ano, por exemplo, houve um aumento de 40% no consumo de energia na área sob a concessão da Energisa, em comparação com o mês de outubro de 2022”, completa.

Um novo pico de demanda de energia elétrica no Estado foi registrado pela Energisa na quinta-feira (16), às 21h45min, em que a demanda alcançou 1.419 MWh.

O aumento exponencial do consumo de energia elétrica em Mato Grosso do Sul tem sido uma realidade preocupante em 2023, impulsionado por recordes mensais de temperatura que elevaram a demanda a patamares inéditos.

Segundo dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o Sistema Interligado Nacional ultrapassou os 100 mil megawatts, um marco histórico para o País.

Em Mato Grosso do Sul, a concessionária Energisa destaca que está preparada para lidar com demandas extraordinárias e que elaborou um plano de contingência específico para enfrentar as condições climáticas extremas.

“Contamos com investimento e ações prévias de manutenção e de substituição de equipamentos na rede de distribuição, que está preparada para atender às demandas extraordinárias causadas pelas altas temperaturas – que têm sido cada vez mais intensas, prolongadas e severas – a fim de garantir o acesso à energia elétrica de forma confiável e contínua”, afirma a empresa.

A Energisa também esclarece que as interrupções e as oscilações de energia têm sido provocadas pelas condições climáticas atípicas, como altas temperaturas, queimadas e fenômenos meteorológicos. Até o momento, a concessionária diz que as ocorrências estão dentro da normalidade, sem bairros inteiros sem energia, e que equipes estão trabalhando continuamente para solucionar situações pontuais.

“A Energisa tem orientado a população a redobrar a atenção com o consumo de energia elétrica. Neste período, é comum que o aumento do uso de eletrodomésticos, como aparelhos de ar-condicionado, ventiladores, máquinas de lavar e refrigeradores, resulte no aumento individual do consumo de energia, refletindo em faturas mais altas”.

A concessionária tem orientado a população a adotar medidas para o uso eficiente e econômico da energia elétrica. As dicas incluem ajustar adequadamente a temperatura do ar-condicionado, evitar o uso simultâneo de muitos aparelhos durante a noite e preferir lâmpadas de LED, que consomem até 80% menos energia.

“Os eletrodomésticos passam a gastar mais energia para se manter operando em altas temperaturas. Orientamos ainda evitar a utilização de muitos aparelhos simultaneamente no período da noite. No passado, os maiores consumos registrados ocorriam no período da tarde, já nos últimos dois anos, o comportamento do cliente mudou e o aumento de consumo identificado pela classe residencial ocorre no período da noite (por volta das 22h), por conta da grande utilização de condicionadores de ar”, afirma a Energisa.

Quanto às condições meteorológicas extremas que têm afetado o Brasil, causadas pelo fenômeno El Niño, o Grupo Energisa reforça seu plano estratégico de contingência. Investimentos e ações preventivas buscam assegurar o fornecimento de energia, demonstrando a adaptação constante da empresa às mudanças climáticas.

O desafio persiste em Mato Grosso do Sul, e a população é instada a adotar práticas conscientes de consumo enquanto a Energisa trabalha incessantemente para garantir a estabilidade do fornecimento de energia elétrica em meio a um cenário climático cada vez mais imprevisível.

CALOR

Vários municípios de Mato Grosso do Sul têm registrado recordes de calor nos últimos meses. O calorão extremo deu uma trégua no domingo, e as temperaturas devem se manter amenas durante esta semana.

No entanto, nas últimas semanas, o Estado enfrentou a terceira onda de calor registrada neste ano, com condições meteorológicas extremas, de altíssimas temperaturas e baixa umidade relativa do ar.

Dezenas de cidades tiveram sensação térmica acima de 40°C. Além disso, as condições favoreceram a propagação dos incêndios florestais. No Pantanal, a fumaça dos incêndios se alastrou para vários outros municípios, incluindo Campo Grande, gerando alerta para a qualidade do ar em níveis críticos.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias