Sábado, 22 de Setembro de 2018
Geral
14/03/2018 11:14:00
Justiça condena Bernal a 1 ano de detenção por injúria contra advogado
Briga judicial teve como pano de fundo causa que envolvia ex-catadora de recicláveis atropelada em lixão

Top Mídia/PCS

Imprimir

Decisão do juiz Wilson Leite Corrêa condenou o ex-prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal, do PSD, por injúria. O magistrado aplicou pena de um ano contra Bernal, em ação movida pelo advogado Rubens Clayton Pereira de Deus, em 2013. Cabe recurso.

A denúncia do advogado tem a ver com o processo judicial de uma ex-catadora de materiais recicláveis que acusou o ex-prefeito de ter feito saques da conta judicial da mulher, que tinha Bernal, também advogado, como defensor da causa.

Pelo processo, que corre em segredo judicial, Bernal advogou de 1999 a 2002, para Dilá Dirce de Souza, de 69 anos de idade. Em 1999, então com 50 anos, a mulher foi atropelada por um caminhão da empresa Vega Sopave, que despejava detritos na área conhecida como lixão, em Campo Grande.

Dilá trabalhava na área, coletando materiais recicláveis. Bernal teria vencido a causa e a empresa feito depósitos em dinheiro para ser entregue à mulher.

À época, em 2013, de acordo com cálculos reajustados, segundo Rubens de Deus, Bernal teria de repassar em torno de R$ 200 mil para a ex-catadora de recicláveis, que garante nunca ter recebido qualquer recurso desta demanda judicial.

Ainda no período, o advogado denunciante e o ex-prefeito trocaram acusações pela imprensa. Rubens de Deus moveu ação contra o ex-prefeito, por injúria. Bernal negava ter sacado dinheiro da conta da ex-catadora e dizia que o advogado desejava difamá-lo, apenas.

“Julgo procedente o pedido condenatório formulado na queixa crime e condeno Alcides Jesus Peralta Bernal, às penas de 20 dias-multa e 1 ano de detenção, em regime aberto”, diz trecho da decisão do juiz Wilson Leite Corrêa.

Ainda de acordo com o despacho, o magistrado substituiu a pena privativa de liberdade por prestação pecuniária no valor de dez salários mínimos (em torno de R$ 9,5 mil), em favor da vítima, o advogado Rubens de Deus, no caso.

Já quanto a suspeita que recai sobre o ex-prefeito por ele ter supostamente sacado dinheiro da conta judicial da ex-contadora, o processo ainda não teve desfecho. O ex-prefeito ainda não comentou a decisão que pode ser contestada por ele.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias