Segunda-Feira, 3 de Agosto de 2020
Geral
29/07/2020 13:00:00
Por mal funcionamento de pistolas, Taurus é proibida de vender armas ao estado de SP

Midiamax/LD

Imprimir

A fabricante de armas Taurus está suspensa dos processos licitatórios do Estado de São Paulo por dois anos, após terem sido observadas falhas no funcionamento de pistolas fabricadas pela empresa e vendidas ao governo entre 2007 e 2011. Além disso, deve pagar uma multa de R$ 12,7 milhões aos cofres públicos.

A defesa da Taurus alega que as provas do processo são arbitrárias “como uma pretensa perícia técnica comprovadamente nula” e que a garantia do armamento foi cumprida quando necessário.

O processo corre desde 2016. Após sucessivos recursos da empresa, a Consultoria Jurídica da Polícia Militar paulista manteve a pena, citadando um relatório do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), que apontou falha entre 86,9% e 95,3% do total de pistolas modelo 640 e entre 41,6% e 55,8% do total de pistolas do modelo 24/7, com índice de confiabilidade nos testes de 95%.

BRASIL Por mal funcionamento de pistolas, Taurus é proibida de vender armas ao estado de SP Além da suspensão de dois anos, a empresa ainda deve pagar multa de 12,7 milhões Da Redação Em 10h12 - 29/07/2020

Foto: ilustrativa A fabricante de armas Taurus está suspensa dos processos licitatórios do Estado de São Paulo por dois anos, após terem sido observadas falhas no funcionamento de pistolas fabricadas pela empresa e vendidas ao governo entre 2007 e 2011. Além disso, deve pagar uma multa de R$ 12,7 milhões aos cofres públicos.

A defesa da Taurus alega que as provas do processo são arbitrárias “como uma pretensa perícia técnica comprovadamente nula” e que a garantia do armamento foi cumprida quando necessário.

O processo corre desde 2016. Após sucessivos recursos da empresa, a Consultoria Jurídica da Polícia Militar paulista manteve a pena, citadando um relatório do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), que apontou falha entre 86,9% e 95,3% do total de pistolas modelo 640 e entre 41,6% e 55,8% do total de pistolas do modelo 24/7, com índice de confiabilidade nos testes de 95%.

LEIA TAMBÉM: Assassino confesso de ex-prefeito tem novo pedido de liberdade negado

PF faz operação contra tráfico de armas em oito estados

De acordo com empresa, “a leitura correta do relatório do IPT indica que as pistolas são dotadas de sistema de segurança que funciona de modo adequado” e verificação conduzida pelo Exército em 2016 “não verificou ou identificou a ocorrência de vícios de projeto ou fabricação sobre o modelo de pistola 24/7 produzido pela Taurus”.

Ontem (28), a Taurus afirmou, em nota, que as pistolas referidas no processo não são mais fabricadas ou comercializadas e que “tomará todas as medidas judiciais cabíveis para reversão da penalidade aplicada”. Também por falhas em pistolas fornecidas à Polícia Militar local, a Taurus está suspensa de licitar no Distrito Federal por um ano, até maio de 2021.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias