Segunda-Feira, 17 de Dezembro de 2018
Logística
10/09/2018 17:14:00
Sem cumprir obrigações, MSVia vê movimento e receita crescerem
Greve dos caminhoneiros não prejudicou concessionária, que teve faturamento 8% maior no 2º trimestre

CE/PCS

Imprimir
Foto: Arquivo/ PC de Souza

Mesmo em meio à greve dos caminhoneiros, manifestação que reduziu drasticamente o fluxo de veículos nas rodovias brasileiras no último mês de maio, a MSVia, que administra a BR-163, foi a única subsidiária do grupo CCR a constatar aumento no movimento, e reforço na receita com a cobrança de pedágio.

O faturamento no segundo trimestre deste ano, quando as nove praças da empresa arrecadaram R$ 64,4 milhões, foi 8% maior que no mesmo período do ano passado, quando a receita foi de R$ 59,7 milhões. Os bons números contrastam com as dificuldades alegadas pela empresa para prosseguir com as obras de duplicação da via.

No semestre, os números também são positivos e os porcentuais apresentados pela MSVia superiores aos de grandes rodovias operadas pelo grupo, como o complexo Anhanguera-Bandeirantes, em São Paulo, e a Via Dutra, que liga a capital paulista ao Rio de Janeiro (RJ). A receita no primeiro semestre deste ano na estrada sul-mato-grossense foi de R$ 136,2 milhões, 9,8% a mais que os R$ 124,1 milhões do mesmo período de 2017.

O volume de veículos que passou pelas praças de pedágio da BR-163 nos primeiros seis meses deste ano foi de 20.766.527, quantia 2,8% maior que os 20.206.727 do primeiro semestre de 2017.

Apesar da isenção de cobrança dos eixos suspensos, que passou a valer depois da greve dos caminhoneiros, e da redução de fluxo nos dias de paralisação, a CCR admite que a MSVia não foi afetada. “A NovaDutra e a MSVia não foram afetadas, dado que a isenção de eixos suspensos está em vigor desde abril de 2015, em decorrência da promulgação e publicação da Lei dos Caminhoneiros. A recomposição do equilíbrio contratual referente a esta isenção já está incorporada a estes contratos”, explica a concessionária.

MAIS CAMINHÕES

Em que pese a greve dos caminhoneiros, que durou praticamente toda a segunda quinzena de maio, foram os veículos pesados e comerciais que ajudaram nos bons resultados obtidos pela MSVia na BR-163. Conforme o boletim divulgado pela CCR, no segundo trimestre deste ano, 78% do tráfego da via foi de veículos comerciais, e 22%, de veículos leves.

No mesmo período de 2017, esta proporção era de 76,3% para os pesados, e 23,7% para os leves.

DESCUMPRIMENTO

Curiosamente, foi neste primeiro semestre que a Agência Nacional de Transporte Terrestres (ANTT) manteve a obrigação da empresa cumprir suas metas de duplicação da rodovia. Desde 9 de maio deste ano, a empresa é multada em R$ 19,7 mil ao dia por não cumprir suas obrigações.

Até esta data, ela deveria ter duplicado 193,5 quilômetros de rodovia. No mesmo mês de maio, a MSVia ainda prometeu ir à Justiça contra a União, para pedir a revisão dos termos assinados em 2014.

Apesar deste impasse regulatório entre a concessionária e a ANTT, a CCR MSVia prevê investimentos de R$ 145,5 milhões para este ano de 2018.

O boletim mais recente da empresa aponta que quase todo este montante (R$ 111,4 milhões) já foi aplicado. Somente em obras de manutenção e melhorias, foram R$ 108,9 milhões utilizados, sendo R$ 55,7 milhões no segundo trimestre.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias