Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Logística
16/04/2017 09:38:00
Suécia tem arma secreta para atrair as empresas de tecnologia
Lei aprovada em janeiro deve impulsionar atratividade do país em quesito essencial para as empresas do ramo

Exame/PCS

Imprimir
Data center do Facebook na Suécia (Foto: Simon Dawson/Bloomberg)

A Suécia quer se tornar a casa ideal para os data centers das empresas de tecnologia.

Em janeiro, entrou em vigor no país uma lei que corta 97% do imposto sobre a eletricidade utilizada por qualquer data center, novo ou antigo, que ultrapasse o consumo de 0,5 megawatt.

O benefício já estava disponível para as plantas de manufatura e indústria pesada da Suécia, então não é exatamente um privilégio.

O país já contava com força de trabalho preparada e infraestrutura tecnológica de primeira, mas tinha o custo de energia entre suas desvantagens em relação aos seus vizinhos (e competidores).

A queda na conta de eletricidade deve chegar a 40%, uma economia e tanto considerando que esse é um dos principais custos fixos desse tipo de operação.

Entre os beneficiados imediatos estão empresas como Facebook, que abriu um data center sueco em 2013, e a Amazon, que anunciou recentemente a abertura de uma instalação do tipo em 2018.

Também não atrapalha o fato de que a Suécia tem uma matriz energética mais limpa do que a de seus vizinhos, o que pega bem para empresas de ponta que tem suas próprias metas de emissão de gases de efeito estufa.

E a economia agradece. No ano passado, um relatório do Boston Consulting Group calculou que em 2015 os data centers tinham uma participação direta de 0,15% no PIB da Suécia e empregavam 3.600 pessoas.

E o potencial de crescimento é enorme na próxima década, com criação de 27 mil empregos e a participação no PIB chegando a 0,45% em 2025.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias