Quinta-Feira, 18 de Julho de 2019
Meio Ambiente
04/02/2019 11:31:00
Com 90% descartados, recicláveis viram lixo e acabam enterrados
Empresa responsável afirma ter coleta domiciliar e mais 200 pontos para entrega nos bairros

CGNews/PCS

Imprimir

Enquanto a prefeitura de Campo Grande tenta fazer com que grandes geradores sejam responsáveis pelo lixo que produzem e, como consequência, se sintam obrigados a promover a reciclagem de materiais, o sistema de coleta seletiva domiciliar patina.

Das 285.127,49 toneladas de lixo coletadas no município da Capital, em 2018, só ínfimos 2% (6.387,880) foram reciclados, quando o porcentual poderia chegar a 20%. Com isso, o restante dos resíduos potencialmente recicláveis, cerca de 90%, acaba com o mesmo destino do lixo comum: enterrado no aterro sanitário.

Além de ruim para cooperativas de catadores de recicláveis, que dependem do lixo reciclável para ter uma renda, a situação é péssima para o meio ambiente, pois aumenta os índices de poluição.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias