Quarta-Feira, 16 de Janeiro de 2019
Meio Ambiente
13/12/2018 11:19:00
Em média, 7 pessoas morrem atingidas por raios anualmente em MS
Duas pessoas morreram por descargas elétricas somente ontem

CE/PCS

Imprimir
Foto: Alvaro Rezende

Estudo do Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat), ligado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), aponta que entre 2000 e 2017, 123 pessoas morreram atingidas por raios em Mato Grosso do Sul, levando a uma média de 7 casos a cada ano.

O estado está entre os dez com maior número de mortes do Brasil, ranking liderado por São Paulo, com 313 registros no período (2.044 em todo o país). Ontem, duas pessoas morreram atingidas por descargas elétricas em Rio Brilhante e Amambai.

Em 2016, por exemplo, o estado recebeu 3.770.576 raios, conforme estatísticas do site Raios Online do Grupo STORM-T/IAG da Universidade de São Paulo (USP). O Elat compila os dados atuais para apresentação dos resultados.

De acordo com o professor Uidinei Alves Fernandes, físico doutor em Geofísica Espacial e pesquisador do Laboratório de Ciências Atmosféricas da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), a geográfica contribui para a presença de raios, juntamente com as estações da Primavera e Verão, responsáveis por 70% das incidências.

"O estado sempre foi um lugar que cai bastante raios, por conta da umidade que vem da Amazônia e das frentes frias que passam por nossa região", disse ele, lembrando que a maioria dos casos ocorrem à tarde. "As tempestades que geram descargas elétricas ocorrem à tarde, como resposta ao aquecimento do solo", explicou.

E foi justamente à tarde quando Rubens Cândido Ferreira, de 65 anos, acabou atingido por um raio ontem, em Rio Brilhante. Ele seguia por estrada vicinal que dá acesso ao assentamento Fortuna, na carroceria de uma picape Saveiro.

A vítima chegou a ser socorrida por enfermeiros e levada de ambulância ao hospital, mas não resistiu e morreu a caminho da unidade médica. "As pessoas que trabalham no campo, na zona rural, estão mais expostas". Bruna Rolin dos Santos, de 15 anos, foi atingida na varanda da casa, em fazenda no município de Amambai, já de noite. Foi socorrida, mas também não resistiu.

"Pesquisas indicam que cada vez mais as pessoas vão ser atingidas pelas descargas dentro de casa, pois ficam em contato com equipamentos eletrônicos ligados à rede. Se você está usando seu notebook que está sendo carregado, por exemplo, e cai um raio lá fora, a descarga vem pela rede e te atinge", explica.

BRASIL

Ainda de acordo com o Elat, 77,8 milhões de raios caem todo ano no Brasil. A cada 50 mortes do tipo no mundo, uma é em território brasileiro. A maioria das vítimas são homens (82%), com idades de 25 a 59 anos (52%). As circunstâncias das mortes geralmente ocorrem em fazendas (25%), dentro de casa (18%), perto de veículos (10%) e debaixo de árvores (8%).

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias