Sábado, 2 de Julho de 2022
Meio Ambiente
06/07/2021 15:37:00
Grande massa de ar seco castiga população de MS sem dó, nem piedade
Está difícil de respirar não é? Essa mudança climática está associada a grande massa de ar seco que predomina o estado e provoca queda na umidade relativa do ar

TMN/PCS

Imprimir
Foto: uol

A mudança climática está castigando a população sul-mato-grossense sem dó e tampouco piedade nos últimos dias, principalmente após a onda intensa de frio na virada dos meses de junho e julho. No entanto, agora as pessoas enfrentam dificuldade para respirar por conta de uma grande massa de ar seco que deixa a umidade em quase 10%.

Essa mudança já era esperada pela meteorologia que no prognóstico lançado para este mês, previa um misto de frio e quente de formas intensas em Mato Grosso do Sul. A grande massa de ar seco é predominante em quase todo o país e inibe a formação de grandes nuvens e a possibilidade de chuvas.

A massa de ar também causa um bloqueio na atmosfera que impede a entrada de novas frentes frias - que deve ser desfeita na próxima semana, com uma nova onda de frio que promete deixar as temperaturas na casa dos 0°C e o risco de geada no estado sul-mato-grossense.

Para os próximos dias, a meteorologia deve continuar mantendo um alerta para os riscos que a baixa umidade relativa do ar causa nas pessoas. Nesta terça-feira (6), por exemplo, há uma clara dificuldade para se respirar por causa dos 12% de umidade.

No início da tarde, Campo Grande registrava 20% de umidade relativa do ar e um céu aberto que potencializava o sol. A situação se repetia em outras cidades do estado, como Corumbá que enfrenta altas temperaturas e umidades em torno de 15%.

O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) emitiu um novo alerta para a possibilidade de incêndios florestais e riscos a saúde por causa dessa baixa umidade. Esse panorama também pode causar o ressecamento da pele, desconforto nos olhos, boca e nariz. A Defesa Civil de Mato Grosso do Sul reforçou o alerta e pediu que as pessoas bebam bastante líquido.

Evitar atividades físicas, exposição ao sol são algumas das dicas que a meteorologia remete para evitar problemas a saúde. Usar hidratante para a pele e umidificar o ambiente é uma das alternativas para fugir desse fenômeno terrível em uma das piores épocas do ano.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias