Domingo, 22 de Outubro de 2017
Meio Ambiente
13/09/2017 18:49:00
Grupo de pescadores grava vídeo puxando sucuri pelo rabo no Pantanal
Imagens, que indicam maus-tratos ao bicho, viralizam por grupos de Whatsapp

CGNews/PCS

Imprimir
Homem puxa sucuri pelo rabo enquanto outro filma (Foto: Reprodução)

Um vídeo que circula em grupos ligados ao setor de turismo de Mato Grosso do Sul mostra, supostamente, um grupo de turistas de Divinópolis (MG) puxando pelo rabo uma sucuri, à beira de um rio na região de Corumbá.

A reportagem do Campo Grande News recebeu a denúncia de uma pessoa que preferiu não ser identificada. Conforme explicou o denunciante, o grupo de pesca esportiva estava no distrito de Albuquerque, em Corumbá - a 419 km de Campo Grande, na última semana. No vídeo é possível ver um dos homens puxando a cobra, que tenta voltar para a água a todo momento. O grupo ri e faz piadas.

Com as imagens, é possível identificar o homem que puxa a sucuri, já que ele veste uma camiseta do grupo de pesca com o nome 'Adelson' estampado. A denúncia afirma que o grupo viajou à região acompanhado de um programa que acompanha pescadores pelo Brasil.

De Minas Gerais, o programa é intitulado "O Bom da Pesca - com Sérgio Fonseca". A reportagem confirmou a existência do programa, que é veiculado na TV Candidés, de Divinópolis, ligada ao sistema MPA de Comunicaçãos. Segundo a denúncia, o programa deve ser exibido a qualquer momento no Estado mineiro.

Aplicativo de celular

A pessoa que encaminhou a denúncia relata ter recebido as imagens por meio de um aplicativo que une pescadores de todos os lugares. Através do app, explica, é possível acompanhar a localização exata de vídeos e fotos quando são publicados.

Além disso, ainda é possível acompanhar quantas pessoas visualizam os vídeos. Segundo relatou, já são mais de 3 milhões de visualizações desse vídeo. A denúncia ainda declara que o grupo praticou maus-tratos contra sucuris mais vezes enquanto esteve na região.

Consultada, a PMA (Polícia Militar Ambiental) de Mato Grosso do Sul explicou, por meio da assessoria de imprensa, não ter conhecimento do vídeo. A corporação pediu que a reportagem encaminhasse o vídeo e declarou que irá investigar o caso. Segundo a assessoria de imprensa, casos de maus-tratos podem culminar em até 1 ano de detenção, além de multa que pode chegar à R$ 3 mil para cada pessoa envolvida.

A lei que dispõe sobre sanções penais e administrativas àqueles que maltratarem animais é regulamentada pela Federação e data de 1998. Segundo o Art. 29, é proibido "matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida".

Falta de orientação

Profissionais que trabalham com o turismo de pesca na região de Albuquerque prefefiram não serem identificados, mas explicaram que a prática é frequente em pousadas e estâncias pantaneiras. Conforme relataram, há falta de orientação dos profissionais e funcionários para os turistas, em especial àqueles que não são do Estado.

A reportagem consultou a produção da TV Candidés, que encaminhou o número de celular do apresentador do programa. A reportagem ligou diversas vezes, mas ainda não conseguiu contato.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias