Sábado, 23 de Março de 2019
Meio Ambiente
09/12/2018 15:02:00
Próximo ao início do verão, calor e tempo seco predominam em Mato Grosso do Sul
Sol e umidade baixa trazem sensação de abafamento e riscos à saúde

CE/PCS

Imprimir
Foto: PC de Souza

Próximo ao início do verão, que começa no dia 21 de dezembro, o calor e tempo seco predominam em Mato Grosso do Sul durante o restante do mês. Conforme meteorologistas, nas duas últimas semanas da primavera, o clima já será típico de verão, com predomínio de sol e chuvas rápidas durante a tarde.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a semana começa com névoa seca e índice de umidade relativa do ar em torno de 30%, considerado estado de atenção. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), um nível considerado aceitável deve estar acima dos 30%, abaixo disso já é prejudicial a saúde. (Veja dicas abaixo).

As temperaturas estarão elevadas e as máximas devem ficar acima dos 30ºC todos os dias. Com a umidade baixa, forma-se a sensação de “abafamento”, fazendo a sensação térmica deverá ser maior do que a temperatura registrada.

O calor aliado ao tempo seco também deve provocar chuvas e trovoadas isoladas em algumas regiões do Estado. No entanto, chuva deve cair em pancadas e não será suficiente para afastar o calorão.

Nos últimos dias da primavera, os dias devem ter céu oscilando entre períodos de claro a nublado, com névoa seca e a baixa umidade do ar à tarde. Ainda segundo o Inmet, noites e madrugadas devem ter temperaturas mais amenas, mas ainda consideradas altas para os períodos, ficando em torno de 20°C.

Para esta semana, previsão é de predomínio de sol e temperaturas elevadas. As condições de chuva aumentam a partir de terça-feira, no norte e noroeste do Estado. Nas demais áreas, pancadas de chuva isoladas estão previstas a partir de quinta-feira.

Em Campo Grande, as temperaturas oscilam entre 21°C e 33°C durante toda a semana. O dia amanhece com névoa seca e os indíces de umidade caem durante a tarde.

UMIDADE BAIXA

O calor e o tempo seco podem trazer problemas a saúde. Os principais problemas decorrentes da baixa umidade relativa do ar são complicações alérgicas e respiratórias devido ao ressecamento de mucosas; sangramento pelo nariz; ressecamento da pele; irritação dos olhos; eletricidade estática nas pessoas e em equipamentos eletrônicos e aumento do potencial de incêndios em pastagens e florestas.

A orientação é para a população suprimir exercícios físicos e trabalho ao ar livre entre as 10h e 16h; umidificar o ambiente através de vaporizadores, toalhas molhadas e recipientes com água; permanecer sempre que possível em locais protegidos do sol, usar soro fisiológico nos olhos e narinas, evitar aglomerações de pessoas e beber bastante água.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias