Terça-Feira, 1 de Dezembro de 2020
Polícia
19/11/2020 09:52:00
Homem é preso e multado por pescar na piracema e capturar peixes abaixo e acima das medidas

Luma Danielle Centurion

Imprimir
Foto: Divulgação PMA

Na manhã última terça-feira (17), Policiais Militares Ambientais de Coxim, que trabalham na vigilância de cardumes no posto da cachoeira das Palmeiras, no rio Taquari, prenderam um pescador por pesca predatória neste local cuja pesca é proibida, mesmo não sendo período de piracema. O infrator pescava na corredeira, denominada “Cachoeira das Palmeiras”, localizada a 20 km da cidade, quando foi surpreendido pela PMA, que havia se afastado do posto, por pouco tempo para monitorar um cardume em outro ponto.

O pescador também havia capturado 31 kg de pescado das espécies cachara e jaú, havendo exemplares de cachara abaixo da medida permitida, o que é crime mesmo com a pesca aberta, e o jaú também estava acima da medida permitida. O exemplar media 135 centímetros, quando o tamanho máximo de captura é de 125 centímetros para a espécie. O petrecho utilizado na pescaria não foi encontrado, mas normalmente os infratores usam tarrafa ou rede. O pescado foi apreendido.

O infrator (47), residente nas proximidades da cachoeira, no município de Coxim, recebeu voz de prisão e foi conduzido à delegacia de Polícia Civil da cidade, onde ele foi autuado em flagrante, por crime ambiental de pesca predatória e saiu depois de pagar fiança. A pena para o crime é de um a três anos de detenção. Ele também foi autuado administrativamente e foi multado em R$ 2.960,00.

ESTRATÉGIA DE FISCALIZAÇÃO

Durante o período de defeso, os peixes estão em grandes cardumes e tornam-se vulneráveis, especialmente nos obstáculos dos rios durante a subida, que são as cachoeiras e corredeiras. Como não há pescador nos rios, devido à proibição, a não ser os que vão se arriscar a praticar a pesca predatória, a fiscalização precisa ser efetiva nos cuidados com esses cardumes em subida para a reprodução, mantendo vigilância 24 horas, principalmente nas proximidades desses obstáculos.

A estratégia de fiscalização da PMA que tem dado certo em todos os anos e efetiva é esta de monitorar e cuidar os cardumes. Das três prisões realizadas até o momento, duas foram de pescadores pescando com tarrafas em cachoeiras, por Policiais dos postos montados para esta fiscalização especial.

Além das duas cachoeiras, onde ocorreram as prisões nos rios Amambai e Taquari, em vários pontos onde existem cachoeiras e grandes corredeiras foram montados postos fixos com policiais 24 horas, principalmente porque grande parte das pessoas que praticam este tipo de pesca predatória mora nas proximidades desses locais críticos, o que é um complicador que torna difícil a prisão.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias