Domingo, 16 de Dezembro de 2018
Política
08/08/2018 07:29:00
Câmara de Coxim se divide entre os que apontam soluções e os que promovem espetáculos

Sheila Forato

Imprimir
Foto: Thiago Silva

Antes de discorrer pelo assunto, é preciso deixar claro que a mobilização promovida pelos servidores de Coxim é justa. Na noite desta terça-feira (7) eles lotaram o plenário da câmara para reivindicar uma posição dos vereadores quanto ao atraso no pagamento da folha, um problema específico da atual administração.

Pontuada a justiça da reivindicação é preciso chamar a atenção do leitor para o comportamento dos vereadores. Quem foi a sessão, se analisar as falas em tribuna, chega facilmente a conclusão que a Casa de Leis é composta por aqueles que apontam soluções, mas, também tem aqueles que promovem espetáculos, aqueles discursos fáceis, apenas para agradar a chamada oposição.

Quem não foi ao plenário ainda tem a chance de assistir à sessão através da página da câmara no Facebook. São dois vídeos, provavelmente, por conta de queda na internet, que ilustram quem são os vereadores de discurso fácil, que apontam falhas, mas que são incapazes de apontar soluções.

Dentre esses vereadores, que demonstraram capacidade intelectual para ajudar na resolução do problema, dois se destacaram. Um deles é o presidente da Casa de Leis, Vladimir Ferreira o outro Abilio Vaneli. Entretanto, temos de fazer justiça, não se limitando apenas a esses dois nomes. Por isso a importância de que você assista e tire suas próprias conclusões.

Para Vladimir, a solução desse problema necessita de corte na própria carne. Ele informou que mantém contato praticamente diário com o prefeito Aluízio São José, que tem estudado vários medidas de contenção, inclusive algumas já foram anunciadas, como o corte de estagiários e de gratificação.

Foto: Thiago Silva
Foto: Thiago Silva

O presidente ressaltou que a saída é essa, conter gastos, porém, avisou: terão de cortar da própria carne. “Não adianta fazer esse movimento e amanhã ou depois quando o prefeito anunciar o fim das horas extras, da dedicação plena, exoneração de cargos de confiança, tanto de efetivo quanto de contratado, alguns de vocês lotarem os corredores da câmara e bater de porta em porta de vereador para reclamar”, ponderou Vladimir.

As sugestões foram além de corte com pessoal. Abilio pediu que Aluízio reforme o antigo prédio do Fórum, doado ao município, para ser ocupado pela administração e outros departamentos que hoje estão em prédios alugados. “Os tempos são de crise, vamos fazer uma parceria e usar os presos na mão de obra, economizando um valor considerável”, exemplificou.

Até ontem, a situação era a seguinte: a prefeitura pagou 93,69% da folha de junho. Os 6,31% que faltam são representados por 21 funcionários, que ganham acima de R$ 6.122,12 (bruto), e que vão receber nesta sexta-feira (20), conforme a secretaria de Gestão de Coxim.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias