Segunda-Feira, 20 de Novembro de 2017
Tecnologia
08/11/2017 12:12:00
Empresa usa bio inteligência artificial para entregar solução de negócios
Athenas Logistics Technology desenvolveu plataforma de automação portuária com algoritmos que se espelham nos conceitos biológicos

IDGNow/PCS

Imprimir

Com investimentos de R$ 10 milhões ao longo de três anos, a empresa brasileira Athenas Logistics Technology acaba de anunciar o lançamento de uma plataforma que utiliza recursos de Bio Inteligência Artificial, tecnologia que se apropria de conceitos biológicos para ajudar no processamento de decisões complexas e estratégicas reduzindo sua complexidade e tempo.

A solução criada pela Athenas é parte integrante da TOS , uma plataforma de automação portuária que integra hardware e software visando tornar mais ágil e otimizar as operações e todos os processos de negócio de terminais logísticos. Ela também faz uso de dispositivos de Internet das Coisas (IoT) para conectar todos os equipamentos, como balanças, guindastes, biometria, RFID, entre outros. O sistema oferece ainda visualização em 3D e real time do pátio, navio e armazém, o que proporciona diversas vantagens ao planejamento e execução das operações.

Na TOS , a Bio Inteligência Artificial é utilizada no algoritmo de otimização. De forma simples, a teoria é usada com uma analogia, transformando todas as cargas — que podem ser contêineres, granel líquido, granel sólido e cargas gerais — em células de um organismo vivo. Essas células serão alocadas em regiões e, a partir desta localização, desempenharam determinadas funções específicas.

É como se fossem células do corpo humano: cada uma carrega informações genéticas, que no caso das cargas são dados como peso, origem e destino, se é refrigerada, se requer condições especiais de armazenamento, prazo de transporte, informações de custo, etc. Já as regiões do pátio trazem características, como proximidade com berço, disponibilidade de tomadas, que podem ser modificadas pelo planejador”, explica Rogério Magela, sócio fundador da Athenas.

Quando uma carga dá entrada em um terminal portuário, a TOS lê todos esses dados em conjunto e, a partir daí, faz a aproximação desta célula com a área do pátio mais apropriada para recebê-la. Ao chegar no local ideal onde a carga deve ser colocada, a plataforma se utiliza de algoritmos matemáticos para calcular o ponto exato em que deve ser disposta.

“Um sistema que utiliza apenas algoritmos matemáticos leva muito tempo, talvez horas, para conseguir calcular tantas variáveis, já que as informações relevantes em um terminal logístico podem somar centenas de dados. Esse prazo é inviável para administrar diversas cargas chegando e saindo a partir de diferentes modais, como rodoviário, ferroviário, aéreo e aquaviário. Utilizando a Bio Inteligência Artificial, conseguimos fazer o sistema entender o conjunto de informações de cada célula, agilizando o processo. Outro ponto importante é que, como tanto a carga como a região do pátio têm seu ‘código genético’, ambos participam do processo. Tudo isso reduz o número de cálculos que o sistema precisa fazer para permitir que a carga encontre o local mais adequado no terminal”, afirma Magela.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias