Quarta-Feira, 26 de Setembro de 2018
Tecnologia
06/04/2018 18:21:00
Facebook quer garantir que você saiba como identificar um anúncio político
Companhia anunciou nesta sexta mudanças que visam tornar mais transparente a veiculação de anúncios, incluindo tags que deixarão claro quando um post é propaganda política

IDGNow/PCS

Imprimir

O Facebook quer logo virar a página, ou melhor, todos os capítulos que se levantaram sobre a companhia desde o escândalo envolvendo o uso indevido de milhões de perfis de seus usuários pela consultoria política Cambridge Analytica. Depois do CEO Mark Zuckerberg anunciar uma série de mudanças que visam tornar a plataforma mais transparente, além de prometer auditar todos os apps que se integram ao Facebook, chegou a vez da companhia endereçar o que, financeiramente, movimenta a plataforma: a publicidade.

Rob Goldman, VP para anúncios do Facebook e Alex Himel, VP para Local amp;amp; Pages, assinam novo post no blog da companhia que tenta trazer mais luz à política de anúncios do Facebook e Instagram. "Nós acreditamos que quando você visita uma Página ou vê um anúncio no Facebook, deve ficar claro da onde está vindo", escrevem. Os novos ajustes, segundo os executivos, foram desenhados para aumentar a "transparência e responsabilidade, assim como prevenir interferência de eleições".

Este é um anúncio político

O Facebook acredita que para deixar claro que um anúncio veiculado na plataforma se trata, na verdade, de uma propaganda política, ele deve vir sinalizado como tal - assim como já acontece em outras plataformas - como TV e rádio. Para isso, eles virão com uma legenda colocada no topo à esquerda da publicação como "Anúncio Político", ao lado de uma informação que diz quem é a empresa ou o responsável por pagar o anúncio.

Além disso, para certificar-se de que a propaganda em questão é de um perfil idôneo, o Facebook diz que apenas anunciantes autorizados poderão veicular tal material. Isso já vinha acontecendo desde outubro do ano passado, quando a companhia anunciou a decisão de limitar a publicação de anúncios de cunho político partidário no Facebook e Instagram. Hoje, a companhia está estendendo a prática para qualquer pessoa que queira promover um anúncio com conteúdo político ou ainda um anúncio considerado "problemático".

Para checar esse tipo de histórico, o Facebook afirma trabalhar com parceiros para listar o que são esses anúncios "problemáticos" ou delicados, que serão refinados de tempo em tempo. Em resumo, até que uma pessoa ou empresa não receba autorização do Facebook ela não poderá publicar um anúncio de candidatos ou causas ditas políticas até ela ter um aval do Facebook para isso. Entretanto, a companhia ainda não detalhou como esse filtro se dará na prática, mas disse que também está empregando o uso de inteligência artificial para ajudá-la neste processo. Além de contar com a ajuda das pessoas para reportarem quando um anúncio for ofensivo ou de expressão política quando não estiver devidamente legendado como tal.

Uma lupa sobre as Páginas

As chamadas fake news se tornaram um verdadeiro tumor na operação do Facebook e que, para todos os efeitos, não mostra sinais de remissão. O Facebook tem tentado apagar o fogo aqui e ali, suspendendo contas que compartilham notícias falsas ao mesmo tempo que não pode assumir passos que ferem a liberdade de expressão. Há algumas semanas, o Facebook, por exemplo, suspendeu páginas brasileiras que compartilhavam mentiras sobre a ex-vereadora assassinada Marielle Franco.

Para tentar dar mais clareza aos propósitos de páginas no Facebook, a empresa diz que está testando um recurso chamado "Visualize anúncios" que permite ver todos anúncios que uma Página está promovendo, mesmo que elas não sejam exibidas em sua timeline. Este recurso se aplicaria a todos os anúncios de uma página, sendo ele político ou não. A expectativa do Facebook é lançar globalmente a novidade em junho.

Outro recurso prometido para junho é um serviço público de busca por anúncios políticos. Isso exibirá todos os anúncios com a tag "propaganda política" e mostrará imagem e texto, assim como dados de análise de audiência dos mesmos.

Usuários autorizados

A partir de hoje, pessoas que administram Páginas no Facebook com um grande número de seguidores precisará ser verificada. Esse tipo de abordagem visa dificultar que perfis fake consigam criar páginas, por exemplo, como aconteceu no caso da página Ceticismo Político, criada por um perfil falso.

Por fim, os executivos finalizam o texto reconhecendo "nós sabemos que fomos lentos para identificar a interferência de atores estrangeiros políticos nas eleições norte-americanas em 2016", escrevem. "As atualizações de hoje foram pensadas para prevenir abusos futuros nas eleições e para assegurar que você tenha a informação que você precisa para acessar anúncios políticos assim como o conteúdo nas páginas".

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias