Domingo, 19 de Agosto de 2018
Tecnologia
05/02/2018 11:18:00
Golpes via WhatsApp atingiram mais de 2,5 milhões de brasileiros

Metro/PCS

Imprimir

Mais de 2,5 milhões de brasileiros foram vítimas de golpes no WhatsApp em janeiro, segundo levantamento da Kaspersky Lab. No mês, foram mais de 10 campanhas maliciosas envolvendo nomes como Walmart, Assaí, Caixa, Burger King, Kibon, Spotify, Banco do Brasil, Santander, O Boticário, Lojas Americanas, Senac, entre outros.

Uma das principais campanhas maliciosas promete um ano de acesso gratuito ao Spotify. As mensagens têm um link apontando para o site “spotiffy.net”, “spotify-br.com” e “spotify-usa.com”.

Ao compartilhar a mensagem para que o suposto acesso gratuito seja fornecido, o usuário é direcionado para páginas oferecendo a instalação de aplicativos ou a assinatura de serviços premium, além de um acesso à página para minerar a criptomoeda Coinhive.

Vagas de emprego

Além de criarem promoções falsas, os cibercriminosos também têm utilizado como mote a divulgação de vagas de emprego, em diferentes plataformas, tanto para distribuir conteúdo malicioso quanto para roubar dados. Esse tipo de ataque é mais comuns no começo do ano, período em que há mais vagas disponíveis.

“O link pode chegar por e-mail, rede social, SMS, WhatsApp, além das novas campanhas utilizarem o recurso de notificações dos navegadores modernos”, diz Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky Lab no Brasil.

Dicas de segurança

Desconfie de links recebidos. Mesmo em conversa com um conhecido, é preciso duvidar da veracidade da mensagem, principalmente se ela incluir uma promoção. Sempre confirme a informação no site oficial da empresa

Cuidado com o mouse (ou o touch). Nunca clique em links de e-mails suspeitos, banners em sites ou acesse sites desconhecidos. Se tiver que entrar em banco ou loja na internet, digite manualmente o URL

Notificações. Não autorize as notificações em qualquer website. Revise sempre as configurações avançadas no seu navegador e remova os sites desconhecidos que estão autorizados a emitir notificações

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias