Terça-Feira, 21 de Agosto de 2018
Tecnologia
14/05/2018 18:41:00
Spotify grátis tem melhorias. Será que vale a pena pagar pelo Premium?
Objetivo da empresa é aumentar a adesão à plataforma, para depois incentivar a adesão ao serviço pago

NM/PCS

Imprimir

A última atualização da versão grátis do Spotify trouxe melhorias para dispositivos Android e iOS (iPhone). Agora, os usuários que não pagam pelo serviço passam a ter funções antes restritas a assinantes Premium, o que torna a experiência mais flexível. O objetivo da empresa com as melhorias é aumentar a adesão à plataforma, podendo, posteriormente, incentivar a adesão ao serviço pago.

Agora fica a dúvida: será que ainda compensa pagar pelo Spotify Premium? O site TechTudo comparou os dois serviços após a atualização para te ajudar a decidir. Confira:

Anúncios: a versão gratuita continua exibindo anúncios de áudio a cada 30 minutos entre as música. Ou seja, a única forma de remover propagandas é assinando o Premium.

Pular faixas: o assinante do Spotify Premium pode pular, repetir e voltar faixas quantas vezes desejar. Na versão Free, essa flexibilidade não era permitida e teve melhorias após a atualização. A partir de agora, algumas playlists feitas pelo Spotify permitem pular e repetir ou selecionar manualmente as faixas que quer ouvir de forma ilimitada. As listas abertas não trazem o símbolo de shuffle (aleatório) marcado.

As demais playlists (com a marcação de shuffle) continuam permitindo ao usuário apenas ouvir as músicas em ordem aleatória e avançar apenas seis vezes a cada reprodução.

Playlists: o novo app adiciona músicas automaticamente às listas feitas pelos usuários. As músicas escolhidas são de artistas similares. É possível diferenciar as faixas incluídas automaticamente das selecionadas pelo usuário.

O recurso está presente nas duas versão do Spotify. Contudo, na opção Free, somente as listas geradas automaticamente pelo serviço e sem a marcação de aleatório podem ser reproduzidas livremente.

Rádio: a opção para quem gosta de escolher apenas o estilo musical deixou de existir na versão gratuita. Após a atualização, apenas assinantes poderão selecionar um artista e criar uma estação personalizada com músicas dele e de cantores e bandas similares.

Ouvir offline: apenas assinantes do Spotify Premium podem baixar playlists, álbuns ou faixas individuais para ouvir sem internet. A novidade com a atualização é que tanto os pagantes quanto os não pagantes podem ativar um recurso de economia de dados para consumir menos dados enquanto usam o serviço.

Qualidade: o streaming em alta qualidade segue disponível apenas para usuários Premium. Com ele, os assinantes podem reproduzir faixas com a qualidade "Extrema", disponível nas configurações do app. Assim, o serviço passa a transmitir áudio a 320 kb/s, muito acima dos 96 kb/s do Spotify Free.

Coleção pessoal: a biblioteca pessoal de músicas do usuário deixa de integrar o Spotify Free para celular. Com a atualização, as faixas importadas da memória do telefone ficam disponíveis somente no menu "favoritos", e não podem mais ser reproduzidas no modo offline. Ou seja, o Spotify deixa de funcionar como um player de MP3 na falta de uma conexão à internet. O recurso passou a ser exclusividade do pacote Premium.

Custo: para usufruir dos benefícios do Spotify Premium, o assinante tem de desembolsar R$ 16,90 mensalmente, sendo que os primeiros 30 dias são gratuitos. Ainda há a opção de plano familiar, por R$ 26,90 para até seis usuários, e para estudante, por R$ 8,50 mensais.

O Spotify Free ficou ainda melhor, mas é a melhor opção apenas para quem tem internet o tempo todo. Com a atualização, o app deixou de ser uma opção para ouvir a sua coleção pessoal de MP3. Quem tem um plano com muitos dados ou está sempre no Wi-Fi tem menos motivos para cogitar assinar o Spotify Premium.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias