Sexta-Feira, 5 de Junho de 2020
Brasil
19/02/2020 11:15:00
General Heleno manda um "foda-se" ao Congresso e sugere povo nas ruas
Rodrigo Maia reagiu, e chamou o ministro de "radical ideológico contra a democracia"

CE/PCS

Imprimir
Bolsonaro pediu cautela a General Heleno (Foto: ABr/Arquivo)

“Nós não podemos aceitar esses caras chantagearem a gente o tempo todo. Foda-se”, disse o ministro chefe do Gabinete de Segurança Institucional, General Augusto Heleno, em áudio captado pela transmissão ao vivo, pela internet, de um evento no Palácio da Alvorada, e noticiado pelo jornal O Globo. A divulgação do vazamento já gerou reação no Congresso, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que a declaração do minsitro de Bolosonaro é triste, é que o general comporta-se como um adolescente.

“É uma pena que o ministro com tantos títulos tenha se transformado num radical ideológico contra a democracia, contra o Parlamento”, afirmou Maia.

A irritação de Augusto Heleno com a pressão do Congresso em controlar parte do orçamento impositivo começou logo pela manhã, durante cerimônia de hasteamento da bandeira no Palácio da Alvorada. Heleno afirmou que o governo estava “negociando uma rendição” ao aceitar que o Congresso derrubasse parte dos vetos do presidente e pediu que os ministros Paulo Guedes, da Economia, e Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, refizessem a negociação com o Congresso para tentar manter todos os vetos.

A demonstração da irritação de Augusto Heleno com a pressão do Congresso em controlar parte do orçamento impositivo começou logo cedo, às 8h, durante cerimônia de hasteamento da bandeira no Palácio da Alvorada. Heleno afirmou que o governo estava “negociando uma rendição” ao aceitar que o Congresso derrubasse parte dos vetos do presidente e pediu que os ministros Paulo Guedes, da Economia, e Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, refizessem a negociação com o Congresso para tentar manter todos os vetos.

A sugestão de Heleno foi feita a Bolsonaro em evento que também contou com Paulo Guedes e Luiz Eduardo Ramos Ramos. O general afirmou que o governo não pode ficar “acuado”, com a possibilidade de o parlamento controlar aproximadamente R$ 30 bilhões em recursos de emendas impositivas.

Ainda conforme o jornal O Globo, o presidente Jair Bolsonaro pediu cautela ao ministro e aconselhou a articulação política a costurar novo acordo” com o Congresso sobre as emendas. O general quer que o presidente convoque o povo a ir às ruas contra os parlamentares.

Na manhã desta quarta-feira (19), o governo federal também anunciou seu novo líder, o ex-ministro da Cidadania, Osmar Terra (MDB-RS)

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias