Domingo, 22 de Outubro de 2017
Logística
05/10/2017 11:32:00
Empreiteira nega responsabilidade e Estado arca com obra em rodovia
Rodovia foi construída por Sanches Tripolini e inaugurada em 2014

CE/PCS

Imprimir

A Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul) abriu licitação para restaurar trecho crítico da rodovia MS-436, entre Camapuã e Figueirão, na região norte do Estado. Segundo o órgão, a recuperação de parte da estrada pode custar até R$ 3,6 milhões.

A rodovia, em seus primeiros 107 km entre Camapuã e Figueirão, foi construída pela empresa paranaense Sanches Tripoloni e inaugurada em 2014.

Por lei, a empreiteira teria de realizar qualquer reparo no asfalto dentro de cinco anos após a entrega. No entanto, negou-se a fazê-lo no trecho mais crítico.

De acordo com o secretário adjunto da Agesul, Helianei Paulo da Silva, a empreiteira fez reparos em outros locais, mas na área de serra, entre os km 4 e km 12, objetos da licitação aberta, ela afirmou que a obra feita estava de acordo com o que previa o projeto.

“Notificamos por escrito a empresa, mas ela argumentou que fez tudo conforme o projeto, ainda na gestão passada”, disse. Silva completou afirmou que o governo resolveu arcar com a recuperação porque “não pode aguardar mais, ficar brigando sem fim e é preciso consertar aquele trecho”.

Ele enfatizou que o que faltou no projeto original foi a instalação de drenos ao longo do local, que é de serra e onde mina água.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias