Segunda-Feira, 14 de Outubro de 2019
Polícia
08/08/2019 18:45:00
Colegas mentiram para esposa de desaparecido e não sabem explicar por que não pediram socorro

Sheila Forato

Imprimir
Foto: Sheila Forato

Os dois colegas que saíram para pescar com o jovem desaparecido mentiram para a esposa de Wendel Silva Alves, de 21 anos. Na manhã desta quinta-feira (8), ao serem procurados pela jovem, os dois, que trabalham no frigorífico junto com a vítima, disseram que não sabiam de pescaria, muito menos do paradeiro da vítima.

Eles foram identificados como Anderson e Valderley. Nenhum dos dois souberam dizer à Polícia Civil porque não chamaram o socorro quando Alves se afogou. Os dois só procuraram o Corpo de Bombeiros nesta tarde depois que o caso ganhou repercussão da imprensa.

Segundo os colegas, eles passavam rede no rio Taquari, na zona urbana, quando o jovem se afogou. Em depoimentos eles disseram que a vítima estava de um lado da margem. O colega que estava no meio contou que ainda tentou salvá-lo, mas não conseguiu. Depois que Alves rodou eles ainda procuraram na redondeza, mas não localizaram. De acordo com os colegas, o afogamento aconteceu por volta das 20 horas.

O delegado Felipe Paiva informou que, por enquanto, o caso é tratado como desaparecimento, pois ainda não existe a materialidade da morte, que seria o corpo. O Corpo de Bombeiros já trabalha na busca por Alves e, caso ele tenha morrido, somente a necropsia vai dizer se a causa realmente foi afogamento.

Tanto Anderson como Valderley foram ouvidos e liberados. No entanto, a polícia apreendeu os celulares de ambos, a canoa utilizada na pescaria e o veículo, um GM Celta, de cor prata. O jovem saiu de casa, na região central, por volta das 18h30 de quarta-feira (7), para pescar com os colegas e não voltou mais para casa.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias